Maior número de enterradas de basquete

O recorde é do grupo Ginasloucos, que fez um show durante o 1º Festival RankBrasil

19/12/2008
13655 Acessos
Imprimir
Maior número de enterradas de basquete
Em um minuto, grupo realizou 27 enterradas
Com uma apresentação que exige agilidade e sincronia dos integrantes, o grupo Ginasloucos, de Dourados - MS, arrancou aplausos do público presente no 1º Festival RankBrasil, realizado em 2008, em Curitiba.

Além do show, o grupo realizou uma nova performance para superar o próprio recorde de Maior número de enterradas de basquete com acrobacias. Em um minuto, passou de 22 para 27 enterradas.

Durante a apresentação, os atletas têm posições rotativas e ocorrem jogadas individuais, em duplas, trios, quartetos ou coletivas. Para garantir a qualidade do show é preciso muita dedicação dos integrantes, que fazem rigorosos treinos diários.

O Ginasloucos foi criado em 1995 pelo professor Rogério da Cruz Montes e alguns de seus alunos do curso de Educação Física da UNIGRAN (Centro Universitário da Grande Dourados).

A ideia de misturar o basquete e a ginástica acrobática surgiu quando o professor assistiu algo semelhante, durante o intervalo dos jogos de basquete da liga norte-americana.

Atualmente, o grupo formado por 23 atletas, realiza cerca de 45 apresentações por ano e já esteve em nove estados do Brasil e também no Paraguai.



Participantes do recorde
> Vilmar Pantaleão Escobar de Assunção - professor
> Luiz Fernando Viegas Colete - estudante
> Rafael Brune Caboco - professor
> Geanderson Paixão Almeida - auxiliar administrativo
> Helvio Henrique de Jesus - estudante
> Henrique Maia Bezerra - estudante
> Robisper Alves da Silva - estudante
> Rodrigo Vicente Batista - estudante
> Antonio Carlos Barbosa - professor
> Josimar Crespan - professor
> Alexandre Gustavo Dehn Moreira - funcionário público
> Luiz Frederico Stefanello Ribeiro Gomes - professor

Recorde superado

RecordistaAnoQuantidadeEstado
Grupo Ginasloucos200722 enterradas com acrobacias no tempo de um minutoMS



Redação: Keyla Barros
Revisão: Fátima Pires