Primeiro presidente do Brasil

Marechal Deodoro da Fonseca lutou contra a escravidão, a monarquia e derrubou o Imperador D. Pedro II do poder, estabelecendo a República do Brasil

15/10/2010
61572 Acessos
Imprimir
Primeiro presidente do Brasil
Marechal Deodoro da Fonseca entra para o RankBrasil por ser o Primeiro presidente do país, governando de 25 de fevereiro de 1891 a 23 de novembro de 1891.

O recordista foi o líder militar do movimento que derrubou o Imperador D. Pedro II e colocou fim ao regime monárquico do Brasil.

A proclamação da República aconteceu em 15 de novembro de 1889, com a instalação de um governo provisório, também comandado por Marechal Deodoro, entre 15 de novembro de 1889 e 24 de fevereiro de 1891.

Depois de oficializada a primeira constituição da República, no dia 24 de fevereiro de 1891, Marechal Deodoro foi eleito presidente e Marechal Floriano Peixoto, vice-presidente. A vitória teve uma pequena diferença de votos: 129 contra 97 de Prudente de Morais.

Como presidente, o recordista promoveu medidas importantes para a nação, regulamentou o casamento civil, separou a igreja do estado, estabeleceu normas para o uso de símbolos nacionais como selos, hino, bandeira e armas.

Durante seu mandato, a economia brasileira passou por uma grave crise conhecida por 'encilhamento', que gerou uma onda de inflação, especulações e falências.

A decadência de seu governo veio através da disputa com a oposição e ficou mais tensa quando Deodoro fechou o Congresso e os militares da Marinha ameaçaram bombardear a então capital do país, o Rio de Janeiro.

O presidente já não contava mais com o apoio político e sofria pressão para deixar o cargo. Assim, em 23 de novembro de 1891, Marechal Deodoro renunciou ao poder e se aposentou no exército brasileiro. Ele morreu no dia 23 de agosto de 1892, na cidade do Rio de Janeiro.

História de vida
Marechal Deodoro nasceu no dia 05 de agosto de 1827, na cidade de Alagoas – AL. O recordista foi militar e participou da Guerra do Paraguai, no ano de 1885. Também foi presidente da província do Rio Grande do Sul e líder dos oficiais que se negavam a prender escravos fugidos. Ele estava ao lado dos militares que eram contra a escravidão e a Monarquia.


Redação: Raquel Susin
Revisão: Fátima Pires