Menor cérebro do Brasil

Acredita-se que pelo fato do bicho-preguiça não fazer muito esforço para sobreviver, ele teria desenvolvido um cérebro de acordo com as suas necessidades

07/05/2008
14922 Acessos
Imprimir
Menor cérebro do Brasil
O bicho-preguiça (Bradypus variegatus) entra para o RankBrasil. Espécie típica da Amazônia, possui um cérebro do tamanho de uma azeitona. Levando em consideração as proporções de seu corpo, é um dos animais com o menor cérebro em todo o mundo.

O recordista é um mamífero, de hábitos solitários, que tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Todos os dedos têm garras longas, as quais são utilizadas para se pendurar em galhos. Seu nome vem do metabolismo lento de seu organismo. Tem pelos longos, alimenta-se de frutos, brotos e folhas novas.

Vive na copa das árvores de florestas tropicais, desde a América Central, até a Argentina. Dorme cerca de 14 horas por dia. Na reprodução, gera apenas um filhote, que fica aos cuidados exclusivos da fêmea. É um animal de porte médio, com cerca de 3,5 a 6kg. Possui membros compridos, corpo curto e vive sempre pendurado em galhos e copas de árvores.

A preguiça faz suas necessidades fisiológicas apenas a cada sete ou oito dias, utilizando a base da árvore que costumam se alimentar. Com isso, recicla os nutrientes contidos nas folhas ingeridas, que são parcialmente devolvidos à árvore.

O recordista se divide em dois gêneros: os Bradypus, preguiças de três dedos, e Choeloepus, de dois dedos. A preguiça de dois dedos é encontrada da América Central, até São Paulo. A preguiça real vive nas florestas tropicais, desde a Nicarágua, até o Brasil Central.

O bicho-preguiça corre sério risco de extinção, sendo o homem seu principal predador, comercializando o animal em feiras livres e nas rodovias. A destruição do habitat natural também favorece o desaparecimento da espécie.

Espécies de três dedos que podem ser encontradas no Brasil
>Preguiça comum: encontrada em Honduras, ao norte da Argentina e em todas as florestas do Brasil.
>Preguiça de bentinho: vive na Venezuela, Bolívia e Guianas.
>Preguiça de coleira: vive somente na Mata Atlântica, do Rio de Janeiro e no sul da Bahia. É a espécie mais ameaçada de extinção.


Redação: Raquel Susin
Revisão: Fátima Pires