Maior escultura sonora com material reciclável

Chocalho gigante possui seis metros de comprimento e é composto por 15 mil tampinhas de embalagens plásticas de diversos países. A obra está exposta no Rio de Janeiro

06/07/2016
14754 Acessos
Imprimir
Maior escultura sonora com material reciclável
Escultura sonora possui seis metros de comprimento e é composta por 15 mil tampinhas de embalagens plásticas / Foto: Luiz Cordeiro
Chamar a atenção das pessoas de maneira criativa para a preservação do meio ambiente. Com este objetivo principal e através do projeto ‘Reciclagem, Misancén e Música’ foi produzida a Maior escultura sonora com material reciclável do país.

Também conhecido como ‘chocalho colossal’, o instrumento recebe o reconhecimento do RankBrasil por possuir seis metros de comprimento. A obra pesa 65 quilos e é composta por 15 mil tampinhas de embalagens plásticas de cores e tamanhos variados, penduradas em 103 cordas de linha de nylon de diversas metragens – variação proposital para obter diferentes frequências sonoras.

O responsável pela escultura é o escritor carioca Marcelo Gularte, que já é dono de outros cinco recordes brasileiros. Ele idealizou o objeto gigante juntamente com a artista plástica e atriz Lenita Arêas, mas como esta precisou desenvolver outro trabalho, teve que seguir sozinho a empreitada.

“Então começou minha saga atrás das tampinhas”, comenta o recordista. O carioca ainda não sabia como fixá-las, quando Lenita encontrou na rua uma tampa de caixa d’água de mil litros em material PVC. “Neste momento a identidade da escultura foi sacramentada”, revela o escritor.

Em um mês, Marcelo conseguiu reunir 10 mil tampas plásticas (principalmente de refrigerante e material de limpeza), e construir o instrumento. Depois foi preenchendo com outras arrecadadas, que vieram até do exterior através de viagens de amigos.

Ele lembra que o lixo jogado de maneira não ordenada se torna um grande poluente e é bastante nocivo ao meio ambiente. “A escultura sonora chama a atenção justamente para esse cuidado”, destaca. Quem tiver curiosidade, a obra está exposta na Areninha Carioca Hermeto Pascoal, no bairro de Bangu, Zona Oeste do município do Rio de Janeiro (RJ).

Homenagem e parceria
O ‘chocalho colossal’ foi feito em homenagem aos 80 anos do multi-instrumentista Hermeto Pascoal, para ser instalado no espaço externo da Lona Cultural, no bairro de Bangu. Como a Lona estava passando por uma reforma, Marcelo esperou para a inauguração do instrumento.

Após as obras, o local mudou de nome e virou Areninha Carioca Hermeto Pascoal. “Neste momento surgiram duas parcerias importantes e decisivas: a TV À Bangu, onde vou começar um programa de entrevistas chamado ‘Os estrambóticos’, e o cenógrafo Clécio Régis, um dos sócios da TV que generosamente montou uma equipe para erguer a escultura”.

‘Reciclagem, Misancén e Música’
O Ponto de Cultura Reciclagem, Misancén e Música foi criado em 1999 por Marcelo e um grupo de amigos. Trata-se de uma atividade educativa para crianças, jovens e adolescentes da favela do Mangueiral, na Zona Oeste do Rio de Janeiro (RJ). A ideia é construir instrumentos musicais, de pesquisa tímbrica e sonora a partir da utilização de objetos recicláveis que se encontram no lixo.
As tampinhas estão penduradas em 103 cordas de linha de nylon de diversas metragens – variação proposital para obter diferentes frequências sonoras / Foto: Izabel Rocha

No RankBrasil
Marcelo Gularte também possui os recordes brasileiros de:
Maior narração literária com ditos populares,
Mais rápido a pesquisar e publicar livro de Literatura,
Maior romance em número de páginas do país,
Romance com maior número de personagens e
Livro com a maior cronologia sobre o funk.
“Entrar para o RankBrasil com essa escultura sonora foi uma surpresa: pensei que meus recordes estariam todos ligados à produção literária”, finaliza.

Algumas citações na mídia:
Folha Vale do Café
I Oeste
Colíder News