Maior número de composições musicais no gênero religioso

Adilson Pontes Cordeiro compôs diversas musicas em 222 dias, entre elas, 50 religiosas

10/12/2010
6095 Acessos
Imprimir
Maior número de composições musicais no gênero religioso
Divulgação: RankBrasil
O pernambucano Adilson Pontes Cordeiro entra para o RankBrasil – Livro dos Recordes, em 2010, pelo Maior número de composições musicais no gênero religioso.

Segundo o recordista, a inspiração para compor estas canções aconteceu em momentos distintos de sua vida. “Cada uma representa exatamente onde estava minha imaginação: às vezes visualizando um cenário romântico, outras vezes um momento de mais alegria, e em outras situações, um cenário reflexivo onde acontecem as viagens da alma”, destaca.

O compositor revela que as músicas evangélicas foram inspiradas na sua formação, “onde família, igreja e trabalho andam juntos”. Ele conta que, desde a infância, sempre procurou estar próximo dos caminhos de Deus e sempre gostou de cantar os louvores.

“Ouvindo músicas de outros compositores, ou mesmo as pregações dos nossos evangelizadores, tenho encontrado muita facilidade em compor melodias neste gênero musical, tão gratificante que fala do amor de Deus por nós.

Todas as canções são importantes para o recordista. “Cada uma delas é como se fosse um filho. Dedico um carinho absoluto e procuro trabalhar na composição dando o melhor de mim e tentando externar a mensagem com simplicidade”, comenta.

Conforme Adilson, o objetivo das composições é elevar o espírito das pessoas que gostam de ouvir estas canções. “Dentro de cada música, está um pedaço de mim”, ressalta o recordista.

Ele conta que, nestes 222 dias de inspiração, o gênero frevo também recebeu destaque, com a composição de 45 canções.

“As músicas do gênero frevo, típico das nossas origens pernambucanas, tem uma grande importância dentro da cultura de nosso povo e contam histórias do carnaval, da alegria dos blocos no Recife Antigo, dos frevos de rua nas ladeiras de Olinda e dos pólos de animação espalhados pela capital”, diz.

Para manter estas tradições, Adilson tenta fazer a sua parte: “Procuro retratar da forma como sempre vi o carnaval, que é a festa popular mais democrática do planeta, onde todos se divertem”.

Apesar de todas as músicas serem especiais, segundo Adilson, as primeiras abriram os caminhos e mostraram que era possível seguir compondo. “No gênero religioso, a música ‘Foi Por Amor’ iluminou nossos caminhos e, no frevo, a missão coube à música ‘Apologia a Recife’.


Redação: Fátima Pires.