Maior tempo de embaixadinhas no adulto feminino

A nova recordista do RankBrasil é Claudia Martini, de Caxias do Sul - RS

19/05/2004
15039 Acessos
Imprimir
Maior tempo de embaixadinhas no adulto feminino
Claudia Martini, de Caxias do Sul - RS, entra para o RankBrasil em 2004, estabelecendo um recorde de embaixadinhas na categoria adulto feminino.

Ela permaneceu 8h24min20 com a bola no pé, desafio que foi mostrando para todo o Brasil, no programa do Domingão do Faustão, do dia 21 de outubro de 2001.

A prova teve início no programa Esporte Espetacular. Ao todo, foram mais de 50 mil embaixadas. A desafiante se mostrou tranquila durante todo desafio, pois sabia que estava preparada, tanto fisicamente como psicologicamente.

Claudia já detinha a liderança deste recorde, quando ficou 7h5min25 realizando cerca de 41.788 toques na bola, em julho de 1996.

Destaque no Brasil e no mundo
No Brasil, Claudia marcou presença em eventos realizados em vários estados, incluindo abertura de jogos da seleção brasileira de futebol. Recebeu homenagens e troféus de diversas entidades filantrópicas e esportivas, convites para apresentações em programas de televisão e foi uma das ilustres convidadas a participar da novela ´O Clone´, da Rede Globo, no bar da Jura.

A recordista também ajudou a divulgar o nome do Brasil pelo mundo afora. Claudia participou de grandes eventos internacionais, em feiras, convenções, estádios de futebol, shows, entre outros.

Ela já mostrou suas habilidades na Alemanha, Itália, Portugal, Estados Unidos, Canadá, Chile, Argentina e mais recentemente no Japão, pelo segundo ano consecutivo. Pelo sucesso profissional, virou notícia em jornais e revistas na América do Sul, Europa, Estados Unidos e Japão, encantando a todos com seu talento e simpatia.

Atualmente Claudia estuda novos projetos relacionados a embaixadas, mas não descarta a possibilidade de uma nova marca.

Os treinos
Para manter o preparo físico, Claudia treina três horas por dia na academia, priorizando exercícios aeróbios, como corrida, bike e musculação para membros superiores. Na parte das embaixadinhas, ela treina habilidades diferenciadas para que suas apresentações fiquem cada vez melhor.

Incentivo que transformou sua vida
A prática de embaixadinhas teve início em 1990. Claudia tinha 15 anos, estava passando as férias com sua família em Torres - RS e se encantou ao observar como seu irmão e alguns amigos dominavam a bola de futebol.

Por se tratar de uma atividade física, ela quis participar da brincadeira e acabou ouvindo a memorável frase ´futebol não é para mulher´. A recordista encontrou na provocação um incentivo que transformaria sua vida. Desta forma, ela passou a treinar diariamente.


Redação: Aline F. Cardoso
Revisão: Fátima Pires