Mais jovem doutora do Brasil

Recorde pertence à Bruna Mara Machado Ribeiro, que concluiu o programa de Doutorado em Farmacologia com 26 anos, nove meses e cinco dias

23/11/2017
12838 Acessos
Imprimir
Mais jovem doutora do Brasil
Bruna Mara Machado Ribeiro é a Mais jovem doutora do país, recorde oficializado pelo RankBrasil / Foto: Arquivo Recordista
A cearense Bruna Mara Machado Ribeiro superou o recorde brasileiro de Mais jovem doutora do país, marca oficializada pelo RankBrasil em 2017. Nascida em 13 de setembro de 1988, concluiu Doutorado em Farmacologia no dia 17 de junho de 2015, com 26 anos, nove meses e cinco dias.

Ela realizou o Doutorado pelo programa de Farmacologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), e defendeu sua tese com o tema “Estudo dos Efeitos Neuroprotetores do Ômega-3, Liraglutide, Risperidona e Clozapina em um modelo neuroinflamatório induzido por Poly I:C em cultura primária de células Hipocampais”.

O trabalho buscou encontrar e redirecionar fármacos que tivessem efeito neuroprotetor diante da infecção viral do sistema nervoso e que pudessem servir para prevenir e tratar as alterações do desenvolvimento cerebral provocadas por vírus. A recordista afirma que “o estudo realizado minimizou a neuroinflamação, impedindo a perda e morte de tecido cerebral, e aumentando a sobrevida neuronal, reduzindo os prejuízos provocados por vírus”.

Bruna comenta que atualmente existe uma emergência sanitária global provocada por vírus e seus prejuízos neurológicos, e por isso a importância de pesquisas científicas que têm como objetivo encontrar substâncias capazes de proteger o cérebro dos efeitos deletérios virais. “O redirecionamento de fármacos permite testar substâncias que já estão no mercado sendo usadas para tratar diferentes patologias, mas que também podem ser úteis no tratamento e prevenção das alterações do sistema nervoso”.

De acordo com ela, o doutorado foi realizado em continuidade com a sua dissertação de mestrado defendida no ano de 2013, apesar de algumas limitações de verbas para pesquisa. “A ajuda interlaboratorial do Departamento de Farmacologia da UFC, através do compartilhamento de reagentes, técnicas e materiais facilitou a realização de experimentos complexos e de alto custo”, destaca.

Um dos fatores que favoreceu a eficácia da realização da tese, prossegue Bruna, foi o treinamento de cultivo primário de células neuronais e células da glia em 2013. A cearense explica que isso aconteceu no Laboratório de Morfogênese Celular do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sob orientação do professor Vivaldo Moura Neto.

Conforme a doutora, o amor e a intensa dedicação à ciência e à pesquisa exigiram alguns sacrifícios, que incluíram finais de semanas nos laboratórios, períodos de dedicação exclusiva ao estudo, horas seguidas de experimentos e vários dias longe de familiares. “Sacrifícios que ao longo da jornada Deus converteu em frutos de recompensa”, destaca.

Trajetória profissional
Bruna Ribeiro desde a infância sempre teve interesse pelos estudos. Foi estudante do colégio público e obteve em 2003, Menção Honrosa na 1ª Olimpíada De Matemática das Escolas Públicas do Ceará, organizada pelo Governo do Estado do Ceará, Ministério da Educação e Ministério da Ciência e Tecnologia (CNPQ). Filha de Mauro Sérgio da Silva Ribeiro e Rejanne Machado Ribeiro, sua mãe sempre lhe incentivou a prática do ensino, estimulando-a desde criança para ajudar nas aulas dominicais da Igreja.

No ensino médio realizou o Exame Nacional do Ensino Médio, foi selecionada e ganhou bolsa integral pelo PROUNI, ingressando na Faculdade com 16 anos. É graduada em Enfermagem pela Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza e recém-formada em 2010 foi aprovada como Professora Substituta do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Ceará. Na instituição, realizava atividades de educação em saúde com crianças de uma creche da Prefeitura de Fortaleza, fato que motivou que a mesma fosse entrevistada pelo programa de televisão UFCTV.

Atualmente é professora de Embriologia, histologia e Farmacologia da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), tutora do Programa Mais Médicos do Governo Federal e sócia da SBNeC ( Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento). Na pesquisa, realiza estudos com ênfase nos mecanismos neurodesenvolvimentais, neuroinflamatórios e neuroprotetores.

Ela foi a única brasileira selecionada e participante da ‘New approaches to psychiatric drug development meeting’ (Encontro sobre novas abordagens do desenvolvimento de medicamentos psiquiátricos), realizada em março de 2017 na Franca, com a organização da ECNP – European College of Neuropsychopharmacology (Colégio Europeu de Neuropsicofarmacologia).

No ano de 2014, na Alemanha, a recordista recebeu o prêmio CDE Grant Winner, no Congress of Applied and Translational Neuroscience (Congresso de Neurociência Aplicada e Translacional).

Recorde superado:


RecordistaCidade/EstadoIdadeAno
Bruna Mara Machado Ribeiro Fortaleza / CE26 anos, nove meses e cinco dias2017
Raíssa Rodrigues Murad São Paulo/SP27 anos, seis meses e cinco dias2006





Algumas citações na mídia:
MegaCurioso
News Rondônia