Campanha contra a Aids no Carnaval 2012 foca uso da camisinha

RankBrasil reforça a importância do sexo seguro, destaca um recorde curioso e alerta que a vida vale muito para arriscar

17/02/2012
7878 Acessos
Imprimir
Campanha contra a Aids no Carnaval 2012 foca uso da camisinha
O Ministério da Saúde começou na terça-feira (14) transmitir em TV aberta a campanha contra a Aids no Carnaval 2012.

Com o tema ‘No Carnaval rola de tudo, só não rola sem camisinha’, o vídeo é apresentado por dois jovens – um homem e uma mulher – que falam sobre a doença e apresentam dados.

A campanha gerou polêmica devido a outro vídeo postado no site do Ministério e retirado em seguida, que mostrava um casal homossexual trocando carícias em uma boate.

O Ministério alegou que a peça faz parte da campanha, mas para ser veiculada em ambientes fechados, frequentados pelo público-alvo deste Carnaval, os jovens gays de 15 a 24 anos.

Independente das críticas, os vídeos focam a principal forma de combater a Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis: o uso regular de preservativos, o que é feito por apenas 43% dos jovens brasileiros.

Além disso, as peças trazem a mesma mensagem, de sensibilizar a juventude para o fato de que a Aids não tem cura e é preciso atenção redobrada durante a festa de Carnaval.

O RankBrasil – Recordes Brasileiros – apóia a campanha do Ministério da Saúde, reforça a importante do sexo seguro e destaca um recorde curioso sobre o tema, a Maior coleção de preservativos.

O recorde é do paulistano Ricardo di Lazzaro Filho, que no ano passado já possuía 419 camisinhas, adquiridas em 35 países, de cinco continentes.

O RankBrasil espera que Ricardo ou outro brasileiro supere essa marca, mas durante o Carnaval 2012 recomenda: nada de economizar camisinhas para colecionar e nada de esquecimento. A vida vale muito para arriscar!


Redação: Fátima Pires