Maior percurso feito com moto de baixa cilindrada

Recorde pertence à professora e para-atleta do estado de São Paulo, Valeria Rodrigues da Costa, que percorreu mais de 52 mil quilômetros

22/06/2021
2658 Acessos
Imprimir
Maior percurso feito com moto de baixa cilindrada
Valeria Rodrigues da Costa bate recorde ao percorrer mais de 52 mil quilômetros com uma moto de baixa cilindrada / Foto: Arquivo recordista
A professora e para-atleta de natação em águas abertas do estado de São Paulo, Valeria Rodrigues da Costa entra para o RankBrasil em 2021 pelo recorde de Maior percurso feito com moto de baixa cilindrada. Entre os anos de 2010 e 2017, ela percorreu 52.148 quilômetros, passando por vários estados brasileiros.

Natural da cidade de São Paulo, a recordista tem atualmente 46 anos de idade e divide sua residência entre os municípios paulistas de Guarulhos e Caraguatatuba. De acordo com ela, o desafio foi realizado em uma moto Suzuki Intruder 125cc. “Eu comprei esta moto após um grave acidente que sofri com outra moto em 2002”, lembra.

Valeria explica que depois do acidente, com o reimplante da perna e a falta de equilíbrio, a única moto que conseguiu pilotar foi uma de baixa cilindrada. “Tive a alegria de voltar a pilotar, mas a tristeza de não ter turma para passeios. Todos se desfaziam da minha moto e achavam impossível realizar longas viagens. Foi assim que surgiu o desafio”.

Segundo a recordista, entre as principais dificuldades do percurso estão as estradas com condições ruins, a falta de sinalização, os buracos, crateras e ausência de asfalto em alguns trajetos. “Também tive problemas com a dificuldade de comunicação, por ausência de sinal do celular”, conta.

A paulistana comenta que uma das curiosidades do percurso foram os homens que ela encontrou pelo caminho, que de um modo geral lançaram olhares com ar de receio. “A diversidade cultural é outra curiosidade: é como se tivéssemos vários países dentro do Brasil”.

Conforme Valeria, o recorde junto ao RankBrasil significa o reconhecimento de um sonho conquistado. Ela afirma que pretende percorrer outros lugares com sua moto e também refazer algumas regiões para que seu marido possa conhecer. “Passando a pandemia o desafio será em Ushuaia, na Argentina”.

Desafios no Brasil
O primeiro desafio de Valeria para a conquista do recorde brasileiro foi na Bahia em 2010, quando fez 3.600 mil km em 20 dias. Em 2011 ela percorreu 5.830 km também em 20 dias, no estado de Sergipe. No ano de 2012 foram quatro dias para fazer 1.800 km em Santa Catarina.

No Mato Grosso do Sul, ela percorreu 2.100 km em cinco dias no ano de 2013. Em 2014 visitou o Acre, fazendo 8.538 km em 20 dias. No ano de 2015 foi a vez do Oiapoque, percorrendo 11.137 km em 30 dias.

Em 2016, Valeria visitou o Sul do país, indo até o Chui com um percurso de 5.790 km em 22 dias. Seu maior desafio foi o fechamento do país, em que percorreu 13.353 km em 62 dias, chegando ao estado de Roraima no ano de 2017.

Desafio americano
A recordista também marcou presença no Desafio Iron Butt, que é uma prova de regularidade com percurso realizado entre São Paulo e Rio de Janeiro. Inclusive Valeria afirma que é a única mulher do mundo que participou deste desafio com uma Suzuki Intruder 125cc. Segundo a paulistana, por conta disso, ela faz parte de uma listagem especial (NotRightRiders – TrulyHardcoreRiders).