Mais jovem autor autista

Arthur Oliveira Barros publicou o livro ‘A dona corujinha’ aos 12 anos de idade, batendo recorde brasileiro

26/01/2021
1039 Acessos
Imprimir
Mais jovem autor autista
Arthur Oliveira Barros bate recorde brasileiro por ser o Mais jovem autor autista do país / Foto: Arquivo recordista
O paulistano Arthur Oliveira Barros é o Mais jovem autor autista do país, recorde reconhecido pelo RankBrasil em 2021. Nascido em 7 de março de 2005, ele publicou o livro ‘A dona corujinha’ em 15 de outubro de 2017, aos 12 anos, sete meses e oito dias.

Arthur conta que desde bem pequeno já queria escrever estórias. “Eu tentava fazer, mas não sabia falar para meus pais”, lembra. Segundo ele, sua obra mostra que ninguém é diferente e que é preciso ter confiança dentro do coração. “A dona corujinha pensava que tinha que ser diferente para ter amigos, então ela vive uma aventura e descobre que é tão especial como todos os outros bichos”, conta.

Depois do livro ‘A dona corujinha’, o paulistano também escreveu ‘O canguru elétrico’, ‘Os novos amigos da dona corujinha’ e ‘Os sandubas’. Arthur adianta que ele e sua família estão terminando outras obras: ‘O leãozinho faminto’ e ‘Introdução ao capitalismo pelos traços do Arthur’.

O recordista comenta que gostou muito de saber que é o autor com autismo mais jovem a publicar no Brasil. “É muito importante fazer livros. Sei que este recorde vai incentivar outros autores como eu, a publicarem também. Isso é muito bom”.

Incentivando o talento dos filhos
A mãe de Arthur, Adriana Oliveira Silva Barros se tornou editora por causa dos livros do filho. Conforme ela, o recordista começou a fazer estórias aos três anos de idade. “Ele criava os desenhos e estórias, mas nós não entendíamos. Aos 11 anos Arthur desenhou, ao meu pedido, uma corujinha. Ao ser incentivado agarrou a idéia e em pouco tempo criou todos os personagens e montou toda a estória”, conta.

Adriana acredita na importância de incentivar o talento dos filhos, em especial de crianças autistas. De acordo com ela, a pessoa com autismo, na grande maioria dos casos, apresenta foco em determinado assunto e esse hiper foco facilita a comunicação e o aprendizado.

A mãe afirma que o hiper foco do filho é desenhar. “Através dos livros, o Arthur nos conta coisas que não conseguiria nos dizer, como por exemplo, a razão de pular tanto, em que a resposta veio no livro ‘O canguru elétrico’. Devemos incentivar a leitura e a produção literária, pois é uma fonte incrível de interação e conhecimento”.

Segundo ela, esse recorde significa a importância do trabalho em família. “Quando notamos que nosso filho apresentava comportamento atípico, nossa preocupação foi grande. O diagnóstico de autismo veio como uma resposta para mim e um sentimento de temor para meu esposo”, lembra.

Adriana destaca que ao trabalhar unida, sua família está conseguindo superar limites e barreiras. “O recorde junto ao RankBrasil é uma confirmação de que a família é o caminho para que a pessoa com autismo viva com esperança de uma vida de mais qualidade. Viva com esperança de que sim, é possível viver melhor”, finaliza.

Autismo de Arthur
A pessoa autista pode transitar entre os graus do autismo e isto depende principalmente de estímulos. Atualmente o recordista está no nível 2 (moderado), sendo que existem também o nível 1 (leve) e o 3 (severo). Arthur foi diagnosticado com autismo F84 com quase 6 anos de idade.