Mais jovem enxadrista

Com quatro anos e três meses, o paulista Luca Perissotto quebra recorde brasileiro

03/03/2022
7707 Acessos
Imprimir
Mais jovem enxadrista
Menino se tornou jogador oficial do Clube de Campo Empyreo aos quatro anos e três meses / Foto: Arquivo recordista
O menino Luca Perissotto quebra recorde junto ao RankBrasil em 2022 de Mais jovem enxadrista. Nascido em 30 de julho de 2017 ele se tornou jogador oficial do Clube de Campo Empyreo, de Leme (SP), em 13 de novembro de 2021, aos quatro anos e três meses.

Luca nasceu em Pirassununga (SP) e atualmente reside em Leme. De acordo com a mãe do recordista, a fisioterapeuta Vanessa da Silva Pinto, o menino joga xadrez desde setembro de 2021. O primeiro contato de Luca com o jogo foi um tabuleiro feito no chão, com peças gigantes, que fica no lago municipal da cidade. “Ele se interessou na hora e quis aprender a jogar de verdade”, conta.

Segundo Vanessa, observando que o filho aprendeu rápido o básico do xadrez que o pai, a tia e os avôs ensinaram, além de seu interesse espontâneo pelo jogo, resolveu colocá-lo nas aulas de xadrez no Clube de Campo Empyreo, onde a família já era sócia.

A fisioterapeuta destaca que o professor do clube foi muito acolhedor, ficou surpreso com a pouca idade de Luca e hoje ensina as jogadas específicas, valores das peças, aberturas e tudo mais que faz parte do jogo. “Temos o cuidado de não força-lo a permanecer as três horas de aula sem intervalo, mas na maioria das vezes ele fica, ou vai brincar um pouco no parquinho e depois volta na aula”.

O recordista joga quase todos os dias em um tabuleiro que fica montado na sala de sua casa. “Às vezes a gente pega ele jogando sozinho”, diz Vanessa. Atualmente Luca também tem um tabuleiro na casa de cada avó e um que leva junto pra onde vai. “Ele leva até para a escola, que por ser de educação infantil não tem aulas de xadrez”.

Conforme a mãe, quando o menino não tem tabuleiro por perto ele pede para jogar no celular. “Luca adora contar as estratégias de jogo dele”, destaca. Por conta da pandemia do Covid 19, o menino ainda não teve a oportunidade de participar de torneios de xadrez. “Foi tudo muito rápido, mas agora em março ele vai jogar na sua primeira competição”, comenta Vanessa.

De acordo com ela, o xadrez na infância ajuda a trabalhar a concentração, raciocínio, disciplina, planejar, além de ajudar a criança a ter paciência, esperar a vez e aprender a perder. “Luca nunca acha ruim quando perde”, afirma. Como uma criança saudável e ativa, além de xadrez o recordista adora jogar bola, jogar Uno, brincar com os amigos, brincar na piscina, cantar no chuveiro, ir ao sítio e ir ao clube.

RECORDE SUPERADO


RecordistaCidade/EstadoIdadeAno
Luca Perissotto Leme (SP)Quatro anos e três meses2022
Felipe do Couto Chadú Brasília (DF) Quatro anos e nove meses2012