Maior orquestra de bateria infantil

Recorde pertence à Escola de Música Arcas, através de um projeto que destaca a importância da doação de medula óssea e sangue para crianças com câncer

09/10/2019
Imprimir
Maior orquestra de bateria infantil
A orquestra faz parte do projeto cultural ‘No ritmo da vida’, que visa despertar a atenção e conscientização das pessoas no que diz respeito à doação de medula óssea e sangue para crianças com câncer
A Escola de Música Arcas, de Joinville (SC) entra para o RankBrasil em 2019 pelo recorde de Maior orquestra de bateria infantil. O desafio aconteceu em 6 de outubro no Teatro Harmonia Lyra, reunindo 40 bateristas entre crianças de 3 a 16 anos de idade.

A orquestra faz parte do projeto cultural ‘No ritmo da vida’, que tem por objetivo despertar a atenção e conscientização das pessoas no que diz respeito à doação de medula óssea e sangue para crianças com câncer. Durante a apresentação, os bateristas tocaram as músicas: It´s My Life (Bon Jovi), Believer (Imagine Dragons), Another Brick In The Wall (Pink Floyd), Iron Man (Black Sabbath) e We´re Not Gonna Take It (Twisted Sister).

O evento contou com a presença da representante do RankBrasil, Elisângela Arruda, que oficializou o recorde com entrega de troféu. De acordo com ela, tudo foi muito bem organizado e as crianças estavam eufóricas. Elisângela menciona a importância do projeto, que enfatiza a doação da medula: “Transmitir isso para as crianças gera nelas uma empatia pelo outro, algo que precisamos tanto nos dias de hoje”.

O projeto é uma iniciativa pessoal da professora de música Sheyla Arcas. Segundo a professora, a ideia foi levar a música para fora da sala de aula e fazer a diferença para mexer com a comunidade ao redor, além de realizar algo pelas crianças com câncer. Ela conta que o estado de Santa Catarina possui o menor índice do sul do país de doação de medula óssea. “Utilizamos a voz alta da bateria para fazer um barulho em prol desta conscientização”, diz.

A professora acredita que o recorde junto ao RankBrasil mostra que mesmo sendo uma escola de música pequena e muitas vezes com poucos recursos, com criatividade, dedicação e amor é possível ser grande e fazer muito barulho. “Se cada pessoa que assistir nossa orquestra pensar ou verbalizar medula óssea o ganho será gigantesco”, conta.

Escola de Música Arcas
De propriedade de Sheyla Arcas, a escola foi criada em 2013. A professora acredita que a criança, jovem ou adulto além de seu instrumento principal também pode desenvolver habilidade em outros. O estabelecimento oferece aulas de bateria, cajon, percussão, violão, viola, ukulele, violino, piano, teclado, flauta doce e transversal, clarinete, trompete e gaita de boca.
Formada em música pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), Sheyla também é idealizadora e maestrina do projeto Turma do Batuque, ou Som na Lata, realizado atualmente no colégio Elias Moreira. O projeto utiliza como instrumentos materiais alternativos e recicláveis, como galões e latas. “O objetivo é trabalhar a coletividade e mostrar que se pode fazer algo grandioso com o simples”, destaca.

A professora afirma que o aprendizado ou convivência da criança e adolescente com a música pode prevenir ou melhor sua qualidade de vida, trabalhando a timidez, desenvoltura e autoestima. “Existem outros benefícios da música cientificamente comprovados como concentração, melhora na parte cognitiva, motora e até inteligência”, finaliza.