Primeira brasileira a entrar para a Academia Brasileira de Letras

O recorde é de Rachel de Queiroz, que em 1977 começou a fazer parte da ABL, ocupando a cadeira número cinco

15/05/2003
21677 Acessos
Imprimir
Primeira brasileira a entrar para a Academia Brasileira de Letras
Rachel de Queiroz também foi professora, jornalista, romancista, cronista e teatróloga / Foto: Divulgação
Rachel de Queiroz, que em 2003 passou a fazer parte do RankBrasil, foi a Primeira mulher a entrar para a Academia Brasileira de Letras (ABL), em agosto de 1977, ocupando a cadeira de número cinco.

A recordista nasceu em Fortaleza - CE, em 17 de novembro de 1910. Ela foi professora, jornalista, romancista, cronista e teatróloga.

Com apenas sete anos, mudou-se para o Rio de Janeiro - RJ com os pais, fugindo da seca de 1915. Desta experiência nasceu o livro ´O Quinze´, publicado em 1930. Em 1932, Rachel de Queiroz publicou um novo romance, intitulado ´João Miguel´, e em 1937 retornou com ´Caminho de Pedras´.

Dois anos depois, a recordista conquistou o prêmio da Sociedade Felipe de Oliveira, com o romance ´As Três Marias´ . Em 1957 recebeu o prêmio Machado de Assis, da ABL, pelo conjunto de sua obra. Entre seus vários trabalhos recebe destaque ´Memorial de Maria Moura´, obra que foi adaptada para uma minissérie na TV Globo.

Rachel de Queiroz sofreu um acidente vascular cerebral no dia 28 outubro de 2003 e em 04 de novembro, faleceu dormindo. Seu corpo foi velado na ABL, mas o enterro foi no cemitério São João Baptista, Rio de Janeiro - RJ, onde também está o corpo de seu marido.

Obras
O Quinze (1930)
João Miguel (1932)
Caminho de Pedras (1937)
As Três Marias (1939)
A Donzela e a Moura Torta - crônicas (1948)
O Galo de Ouro (1950)
Lampião - teatro (1953)
A beata Maria do Egito - teatro (1958)
100 Crônicas Escolhidas (1958)
O Brasileiro Perplexo - crônicas (1964)
O Caçador de Tatu - crônicas (1967)
O Menino Mágico - infanto-juvenil (1969)
As Menininhas e Outras Crônicas (1976)
O Jogador de Sinuca e Mais Historinhas (1980)
Cafute e Pena-de-Prata - infanto-juvenil (1986)
Memorial de Maria Moura (1992)

Obras reunidas de ficção
Três Romances (1948)
Quatro Romances (1960)


Redação: RankBrasil
Revisão: Fátima Pires