Maior quantidade de quadros sobre ditos populares

´Cada macaco no seu galho´ é um dos 36 ditos populares reproduzidos por Carlos Palla

08/02/2007
20545 Acessos
Imprimir
Maior quantidade de quadros sobre ditos populares
Arquivo pessoal - Carlos Palla
O pintor, artista e artesão, Carlos Palla, natural de Ubá - MG, entra para o RankBrasil - Livro dos Recordes Brasileiros. Ele reproduziu 36 ditos populares em telas de pinturas.

O recordista sempre teve curiosidade sobre desenhos em artes plásticas. Mesmo não conhecendo nada da área, ele decidiu pintar os ditos populares, que são ´expressões através de desenho´, e começou sua primeira tela no final de 2005.

Carlos passou a produzir seus desenhos em uma arte pouco conhecida, o Naïf, que é a maneira mais ingênua de demonstrar seus sentimentos através das cores da tinta.

O Naïf teve seu auge na década de 60 e 70. No Brasil, quase não se encontra mais esta arte, a não ser no Museu Internacional de Arte Naïf no Rio de Janeiro, que fica no Cosme Velho (MIAN), ou em São Paulo, na galeria de arte Jacques. O MIAN é o mais completo do mundo no gênero. O museu possui em média seis mil obras de brasileiros e estrangeiros, desde o século XV.

Atualmente, Carlos é reformado do exército, dedicando seu tempo totalmente para a arte em geral. Ele promete que vai continuar com os trabalhos: "A medida que aumenta a quantidade, vai surgindo a dificuldade".

Ditos Populares Pintados
> Filho de peixe, peixinho é
> Não cutuque onça com vara curta
> Também sou filho de Deus
>100% negro
> Entre a cruz e a espada
> Presente de grego
> Mexendo em casa de marimbondo
> Macaco velho não mete a mão em cumbuca
> Quem planta colhe
> Cavalo dado não se olha os dentes
> Devagar se vai ao longe
> Vale mais um na mão do que dois voando
> Quem não tem cão caça com gato
> Rio que tem piranha, jacaré nada de costas
> Águas passadas não movem moinho
> Cada macaco no seu galho
> Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura
> A sandália do pescador
> Elo partido
> Na natureza nada se perde, tudo se transforma
> Nem tudo que reluz é ouro, nem tudo que balança cai
> Cobra que não anda não engole sapo
> Com quantos paus se faz uma canoa
> A noite, todos os gatos são pardos
> Quem planta vento colhe tempestade
> Pau que nasce toro, nunca se endireita
> Pé de galinha não mata pinto
> Ajoelhou, tem que rezar
> Dois bicudos não se beijam
> Andorinha que acompanha morcego acorda de cabeça para baixo
> Nem só de pão vive o homem
> Vão-se os anéis, ficam-se os dedos
> De grão em grão a galinha enche o papo
> Tamanho não é documento
> Quem espera tempo bom é sertanejo
> Caminho das pedras

Redação: RankBrasil
Revisão: Fátima Pires