Arte com maior número de pedaços de vidro

Conheça o trabalho de Laércio Stancari, que produziu uma réplica do grandioso mausoléu Taj Mahal, utilizando apenas pedaços de vidro

24/02/2008
7337 Acessos
Imprimir
Arte com maior número de pedaços de vidro
Laércio Stancari, 33 anos, natural de São Paulo – SP, entra para o RankBrasil. O artesão, que produz arte em vidro e tem uma habilidade incrível com cálculos e medidas, colocou tudo isso em prática e foi certificado pelo recorde de Arte com maior número de pedaços de vidro.

A obra é a réplica do Taj Mahal, com 4.574 pedaços de vidro e 612 horas de dedicação. Um exemplo da complexidade do trabalho pode ser visto nas torres que compõem o monumento: foram utilizados 328 pedaços de vidro em quatro torres, ou seja, 82 pedaços em cada uma.

Laércio trabalha com vidros há nove anos e é autodidata na arte: já fez castelos, réplicas de monumentos, e algumas criações próprias como casinhas, igrejas e carrinhos.

Para o artista, basta fotografar o lugar, de vários ângulos, para surgir a arte. O processo é minucioso. Ele tira as medidas, faz uma escala reduzida e começa a montar as peças. “A maioria das obras necessita de tempo, porque gosto do trabalho com muitos detalhes”, destaca o recordista.

Nos seus horários livres, Laércio chega a ficar 16 horas envolvido nos trabalhos. Ele mede, corta, lixa, limpa e cola. Para tanto, o recordista conta que necessita de muita paciência.

O RankBrasil parabeniza Laércio pela incrível arte e dedicação.

Taj Mahal
É um mausoléu situado na cidade de Agra, na Índia. É considerado pela UNESCO patrimônio da humanidade e foi anunciado como uma das novas sete maravilhas do mundo moderno.

O monumento foi construído entre os anos de 1630 e 1652, por 22 mil homens de várias cidades do Oriente.

O imperador Shah Jahan mandou construir o monumento em mármore branco, em memória a sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam, a quem chamava pelo apelido carinhoso, 'A jóia do palácio'. Ela morreu após dar a luz. O Taj Mahal foi construído sobre seu túmulo, junto ao Rio Yamuna.

O monumento é conhecido como a maior prova de amor do mundo, contendo inscrições retiradas do Corão, pedras semi-preciosas e fios de ouro na costura da cúpula.

Redação: Raquel Susin