Museu Nacional da UFRJ possui o maior acervo do Brasil

Com 20 milhões de itens, museu atualmente ocupa a antiga residência da Família Real, onde nasceram personalidades como D. Pedro II e a Princesa Isabel

04/06/2012
6796 Acessos
Imprimir
Museu Nacional da UFRJ possui o maior acervo do Brasil
Foto: Augusto Vasconcelos
O Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) é o Museu com maior acervo do país, contando com 20 milhões de itens.

Os dados são de 2010, do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), órgão vinculado ao Ministério da Cultura, que analisou os acervos de 1,5 mil instituições museológicas do país, integrantes do Cadastro Nacional de Museus.

Vinculado ao Ministério da Educação, o Museu Nacional é destinado à difusão científica e cultural e é um dos mais importantes da América Latina.

As peças das coleções são conservadas e estudadas pelo Departamento de Antropologia, Botânica, Entomologia, Invertebrados, Vertebrados, Geologia e Paleontologia da Universidade.

Reconhecimento internacional
O museu é reconhecido internacionalmente como núcleo de excelência em pesquisa e desenvolve atividades em todas as regiões do Brasil e nos principais centros do mundo, incluindo o continente antártico.

Biblioteca
A biblioteca do museu é especializada em ciências naturais e antropológicas, contando com um rico e extenso acervo. São livros e periódicos de séculos passados, teses, dissertações, obras raras, entre outras publicações.

Maiores acervos 2010 – Ibram/ Ministério da Cultura
posição museu cidade estado acervo
1°. Museu Nacional Rio de Janeiro RJ 20.000.000
2°. Memorial da Medicina Brasileira/
FAMEB/UFBA
Salvador BA 8.001.201
3°. Museu de Zoologia da USP São Paulo SP 8.000.000
4°. Museu Amazônico Manaus AM 6.037.373
5°. Museu Paraense Emílio Goeldi Belém PA 4.515.560
6°. Museu de Ciências e Tecnologia
da PUC
Porto Alegre RS 2.571.060
7°. Museu Nacional dos Correios Brasília DF 2.500.000
8°. Centro de Memória Audiovisual São Paulo SP 1.271.000
9°. Centro Cultural São Paulo São Paulo SP 1.026.800
10°. Museu de Ciências da Terra Rio de Janeiro RJ 1.000.000
História
O Museu Nacional foi criado por D. João VI, em 06 de junho de 1818, inicialmente sediado na Praça da República, também conhecida como Campo de Sant’Anna, no centro do Rio de Janeiro.

Com o nome original de Museu Real, sua fundação teve por objetivo atender os interesses de promoção do progresso cultural e econômico do país.

No ano de 1946, o museu recordista foi incorporado à Universidade do Brasil. Com área útil de 13.616,79 m², atualmente integra a estrutura acadêmica da UFRJ, servindo como base para os estudos em diferentes especialidades.

Residência da Família Real
Desde 1892, o museu ocupa o palácio que foi residência da Família Real de 1808 a 1821, no Paço de São Cristóvão. De 1889 a 1891, o local também abrigou a primeira Assembleia Constituinte Republicana.

No palácio viveram os imperadores D. João VI e D. Pedro I e, posteriormente, as imperatrizes D. Leopoldina, D. Amélia e D. Tereza Cristina. Na antiga residência nasceram personalidades como D. Pedro II e a Princesa Isabel.

Por sua riqueza histórica, o Paço de São Cristóvão foi tombado no dia 11 de maio de 1938, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).


Fontes: Museu Nacional, Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) do Ministério da Cultura e Wikipédia
Redação: Fátima Pires