Maior acervo digital sobre inclusão social

Com 2.900 fotos, recorde pertence ao Estúdio Fotográfico Bem Me Ker– Fotografando Sorrisos.

08/11/2016
2007 Acessos
Imprimir
Maior acervo digital sobre inclusão social
Projeto Bem Me Ker – Fotografando Sorrisos reúne 2.900 fotos sobre inclusão social / Foto: Estúdio Fotográfico Bem Me Ker – Beraldo e Luana Souza
Registrar o desempenho de pessoas com deficiência tanto em situações cotidianas quanto na prática esportiva, mostrando a capacidade humana de transpor seus próprios limites. Com este objetivo principal, o estúdio BL Foto Design, de Limeira (SP), criou o Estúdio Fotográfico Bem Me Ker – Fotografando Sorrisos, que reúne o Maior acervo digital sobre inclusão social do país, recorde reconhecido pelo RankBrasil.

São 2.900 fotos com mais de cem ‘modelos’, que quebram paradigmas em relação a estas pessoas, em especial à maneira com que elas lidam com os desafios do dia a dia. O projeto foi criado em março de 2012 e é desenvolvido pelos fotógrafos Luiz Henrique Beraldo e Luana de Souza Soares.

De acordo com Beraldo, através do registro fotográfico apurado pela ‘lente’ da sensibilidade, a intenção é colaborar para que todos enxerguem a necessidade e a urgência da inclusão. “É o único caminho para o real e sustentável desenvolvimento de uma sociedade democrática, na qual as diferenças são respeitadas, as oportunidades são equiparadas e justas, e o aprendizado é constante e mútuo entre todos os integrantes”, destaca.

Luana Souza afirma que a fotografia é a ferramenta para promover e realizar essa inclusão social. “Ao mesmo tempo em que elevamos a autoestima das pessoas fotografadas – pela apresentação de sua imagem como sujeitos das suas ações – mostramos que possuímos habilidades e modos distintos de realizarmos nossas atividades e atuarmos em sociedade”.

Segundo ela, o projeto busca contribuir para eliminar os preconceitos e a visão assistencialista em relação às pessoas com deficiência. “Nossas limitações, que podem ser desafiadas por nós mesmos, não devem ser determinadas pelo preconceito e nem ser empecilho para o exercício da cidadania ou para o acesso a bens e serviços, deveres e direitos, por nenhum de nós”.

O Bem Me Ker atua principalmente no esporte. Beraldo diz que além dos benefícios para a saúde, a prática esportiva funciona como um grande e poderoso exercício de inclusão social. “É um espaço onde todos convivem, interagem, aprendem com derrotas, conquistam vitórias e são reconhecidos por isso”, ressalta.

O recorde junto ao RankBrasil é um sonho que se torna realidade, conforme o fotógrafo. “É a premiação por nossa dedicação e empenho para transpormos inclusive nossas próprias dificuldades e limites. Em cada pixel de imagem existe também todo o apoio que tivemos de inúmeras pessoas ao nosso projeto, às quais gostaríamos de agradecer imensamente”.

Imagens do acervo quebram paradigmas ao mostrar a capacidade de pessoas com deficiência de transpor seus próprios limites / Foto: Estúdio Fotográfico Bem Me Ker – Beraldo e Luana Souza

Imagens que quebram paradigmas
O estúdio fotográfico BL Foto Design foi criado em 2004. Em 2012 seus profissionais iniciaram um trabalho direcionado a pessoas com deficiência, em sua maioria crianças e jovens, assistidos pela Associação de Reabilitação Infantil Limeirense (ARIL). “Imediatamente constatamos o impacto positivo que a fotografia proporciona na inclusão social e desta forma surgiu o estúdio fotográfico Bem Me Ker – Fotografando Sorrisos”, revela Luana Souza.

Para ela, o principal diferencial do profissional que atua neste segmento está na capacidade de derrubar com imagens uma série de estigmas, preconceitos e paradigmas. “Os fotógrafos do estúdio são certificados pelo Special Kids Photography, entidade norte-americana também representada no Brasil, que reconhece essa visão mais apurada para a fotografia de públicos com deficiência, especialmente infantil”.

Beraldo explica que além da preocupação com o aperfeiçoamento técnico, o fotógrafo deve ter ‘olhar’ sensível e apurado, destituído de estereótipos assistencialistas e preconceituosos. “Só assim é possível apresentar de forma competente e fidedigna o perfil completo, bem-sucedido e natural das pessoas fotografadas”, afirmam.

O dever do profissional, conforme ele, é amadurecer constantemente a sensibilidade para mostrar numa única imagem a mensagem mais completa que puder enviar. “Especialmente para transmitir tanta riqueza de detalhes e informações a respeito de pessoas e situações sobre as quais o mundo tem tanto a conhecer e aprender”.

Eventos e exposições
Entre as fotografias do projeto estão as registradas nas Olimpíadas Especiais Brasil (OEBr) em território nacional e também na cobertura de eventos internacionais com a participação da delegação brasileira das OEBr, como os Jogos Mundiais de Verão 2015, em Los Angeles, e Copa América das Olimpíadas Especiais de 2016, no Uruguai.

Para divulgar as imagens já foram realizadas várias exposições como no Memorial da América Latina em São Paulo e Câmaras Municipais de alguns municípios. Entre os eventos estão a Exposição ‘Namastê’ – pessoas com deficiência fotografadas em atividades cotidianas, e a Exposição ‘Eu Sou’ – em sua maioria atletas com deficiência da entidade Olimpíadas Especiais Brasil durante a prática de esportes.

De acordo com Luana Souza é gratificante receber dos visitantes das exposições itinerantes depoimentos como ‘concluo que o deficiente sou eu, que tinha uma visão deturpada dessas pessoas’. “Isso nos dá a certeza de que estamos semeando com nosso trabalho uma sociedade inclusiva e melhor para todos, que respeita as diferenças e o exercício da cidadania”.

Para visualizar as imagens do acervo do Estúdio Fotográfico Bem Me Ker – Fotografando Sorrisos, basta acessar o link: facebook.com/fotografandosorrisos. Todos estão convidados a conhecer o projeto, que busca um mundo mais harmônico, inclusivo e humano.

Confira nossa galeria de imagens:
Maior acervo digital sobre inclusão social

Algumas citações na mídia
JC Limeira
Jornal Fato
News Rondônia