Maior precisão topográfica poligonal

O recorde vai para um túnel construído no município de Santo Antônio de Leverger (MT)

09/10/2009
37906 Acessos
Imprimir
Maior precisão topográfica poligonal
Foto: Arquivo pessoal - Airton Lopes da Silva.
A precisão topográfica que entra para o RankBrasil foi encontrada em um túnel adutor para a Pequena Central Hidrelétrica (PCH). Construído no município de Santo Antônio do Leverger (MT), obteve uma precisão jamais vista em túneis escavados a fogo no Brasil.

O túnel possui uma extensão de 2.500,330 metros de comprimento, ocorrendo o encontro da frente de montante com 994,975 metros e a jusante com 1.505,355 metros, com uma precisão extraordinária. O erro topográfico identificado, ou seja, a diferença entre o estimado em projeto e o realmente executado, foi de X= 9 milímetros e Y= 36 milímetros. Quanto a precisão altimétrica, o erro encontrado foi de 23 milímetros.

O trabalho de locação foi realizado pela micro-empresa de Tangará da Serra (MT) especializada na área de topografia, a Noroeste Topografia e Hidrometria Ltda. A escavação foi executada pela empresa MFW – Engenharia e Mineração Ltda, com sede em Belo Horizonte MG. A obra é de propriedade da São Tadeu Energética, denominada PCH – São Tadeu I, com capacidade de 18 MW e está sendo construída pela Construtora Lotufo Engenharia e Construções, com sede em Cuiabá – MT.

A equipe da Noroeste Topografia foi liderada pelo topógrafo Airton Lopes Silva e os auxiliares Bruno Soares de Macedo, Cláudio Augusto Martins da Silva e Júnior Carlos de Almeida Cruz. A maior parte do trabalho de marcação das frentes de escavação foram realizadas à noite, para não prejudicar o andamento dos demais serviços da obra.

Outro fator que contribuiu para a precisão da obra foi devido à qualidade dos equipamentos topográficos utilizados e aos criteriosos métodos de marcação e conferência, levando em consideração que o traçado do túnel foi projetado com duas curvas circulares, o que aumenta a dificuldade da marcação.

Segundo o topógrafo Airton, o sucesso da operação é resultado da elaboração de um plano topográfico local, através do traçado de uma poligonal com 10.573,918 metros de extensão. O grande obstáculo foi uma das maiores serras do estado, a Serra de São Vicente, com pontos em que a diferença de nível chega a 332,954 metros, para conferir os marcos inicias do projeto.

Nesta verificação, foi observada a existência de erros nas coordenadas do emboque do túnel, ou seja, se os trabalhos de escavação fossem baseados neste sistema de coordenadas, fatalmente os túneis não se encontrariam: o desencontro seria de 16,281 metros e a diferença altimétrica, 2.049 metros.

Redação: Raquel Susin

Algumas citações na mídia:
Olhar Direto