Maior quilometragem fantasiado em uma única prova

Recorde pertence a Roberto de Souza Pinho, que correu 50 quilômetros fantasiado de Homem-Aranha

14/04/2022
937 Acessos
Imprimir
Maior quilometragem fantasiado em uma única prova
Roberto de Souza Pinho bate recorde ao correr 50 quilômetros vestido de Homem-Aranha / Foto: Arquivo recordista
O advogado de Belém (PA), Roberto de Souza Pinho entra para o RankBrasil em 2022 pela Maior quilometragem fantasiado em uma única prova. Ele correu 50 quilômetros vestido de Homem-Aranha, na V Ultramaratona CL 2021. O desafio aconteceu em 12 de dezembro do ano passado, na cidade de Ananindeua (PA), reunindo aproximadamente 150 participantes.
Roberto conta que queria realizar algo inédito e para isto pesquisou em várias fontes ligadas ao esporte, além de websites de pesquisas e em empresas de recordes como o RankBrasil e o Guinness World Records. “Não achei ninguém que tivesse completado 50 km fantasiado e sem tirar a máscara”, diz.

Segundo o paraense, isso o motivou muito. “Treinei como nunca para conseguir a resistência necessária, compensando assim a velocidade que não tenho”, revela. Ele comenta que a máscara, um item obrigatório para usar no dia a dia devido ao Covid 19, serviu como espécie de treino extra. “Usando sempre a máscara descartável consegui mais resistência para correr fantasiado”.

Aos 46 anos de idade, o recordista destaca que corre vestido de Homem-Aranha desde outubro de 2018 e escolheu a fantasia porque o personagem simboliza uma pessoa do bem, que possui excelentes valores morais e que sempre luta pela justiça, além de ser seu super-herói preferido. “Escolhi fazer os percursos de corrida sempre com máscara para ficar 100% fiel ao traje do Homem-Aranha”, enfatiza.

Entre as dificuldades em correr com a fantasia, Roberto aponta que não é possível se alimentar por causa da máscara. “A visibilidade também diminui, mas tudo é compensado pelo apoio, carinho e incentivo que recebo, inclusive das crianças”.

De acordo com o advogado, ao vê-lo correndo fantasiado na ultramaratona as pessoas reagiram da mais variada forma: “Algumas ficaram espantadas, pois não acreditavam que uma pessoa de máscara o tempo todo fosse completar a prova. Outras tiveram atitude de escárnio, uma vez que vi corredores me olhando com desdém. Mas também teve reação de apoio, já que muitas pessoas me incentivaram na largada, em todo o percurso e na chegada”.

Com o tempo de 8 horas, 17 minutos e nove segundos, Roberto finalizou a prova em 64º lugar na categoria geral masculino. “Meses antes do desafio eu conversei com o organizador Célio Lobato, que me autorizou a participar fantasiado”, lembra.

O paraense destaca que a oficialização do recorde junto ao RankBrasil tem um significado incrível e indescritível. “É o reconhecimento de todo o meu esforço. Uma alegria que carregarei dentro do meu coração”.

Roberto acrescenta que nada disso seria possível sem Deus e sem a presença de pessoas maravilhosas em sua vida, como sua noiva Adriane Silva Gomes, a qual o advogado a apelidou de Mary Jane Drika, que é a esposa do Homem-Aranha. “Ela me incentiva e me apoia, dando-me força extra para conseguir completar os desafios”, diz. “Também agradeço à minha mãe Raimunda Nilce de Souza Pinho, que sempre me ajuda muito”.

Pela conquista do recorde, o paraense ainda agradece a Mauro Cesar Almeida dos Santos, Mario Martins Gomes, Mario Martins Gomes Filho, Rosinete de Souza Cardoso, Juliana da Silva Lacerda, Karson Willer Silva Barbosa, José Maria Rodrigues, Célio Cláudio de Queiroz Lobato Júnior, Nazareno Farias, Alex Cícero, entre outros amigos e assessorias de corrida.