Dalton Trevisan vence o Camões, maior prêmio da literatura portuguesa

Paranaense é o 10° brasileiro a ganhar a principal premiação a um autor da língua, pelo conjunto de sua obra

22/05/2012
2987 Acessos
Imprimir
Dalton Trevisan vence o Camões, maior prêmio da literatura portuguesa
O escritor Dalton Trevisan venceu o Camões, considerado o maior prêmio da literatura portuguesa.




Vencedores do Camões
ano autor país
1989 Miguel Torga Portugal
1990 João Cabral de Melo
Neto
Brasil
1991 José Craveirinha Moçambique
1992 Vergílio Ferreira Portugal
1993 Rachel de Queiroz Brasil
1994 Jorge Amado Brasil
1995 José Saramago Portugal
1996 Eduardo Lourenço Portugal
1997 Pepetela Angola
1998 Antonio Candido Brasil
1999 Sophia de Mello
Breyner Andresen
Portugal
2000 Autran Dourado Brasil
2001 Eugénio de Andrade Portugal
2002 Maria Velho da Costa Portugal
2003 Rubem Fonseca Brasil
2004 Agustina Bessa Luís Portugal
2005 Lygia Fagundes Telles Brasil
2006 José Luandino Vieira Angola
2007 António Lobo Antunes Portugal
2008 João Ubaldo Ribeiro Brasil
2009 Armênio Vieira Cabo Verde
2010 Ferreira Gullar Brasil
2011 Manuel António Pina Portugal
2012 Dalton Trevisan Brasil

Ele é o 10° brasileiro a ganhar a principal premiação a um autor da língua portuguesa, pelo conjunto de sua obra. O anúncio da 24ª edição foi feito ontem (21), em Lisboa, com escolha unânime.

Danton Trevisan nasceu na capital paranaense, em 1925 e é considerado um dos melhores contistas da literatura brasileira do século XX. Autor de mais de 40 obras, alcançou fama com o livro ‘O vampiro de Curitiba’, lançado em 1965.

Entre outros prêmios, o escritor obteve quatro vezes o Jabuti, com ‘Novelas nada Exemplares’, em 1960; ‘Cemitério de Elefantes, em 1965; ‘Ah, É?’, em 1995; e ‘Desgracida’, em 2011. Também compartilhou o prêmio Portugal Telecom em 2001, juntamente com Bernardo Carvalho, com ‘Pico na Veia’.

Camões
Criado em 1988, por Brasil e Portugal, o Prêmio Camões, no valor de cem mil euros, tem por objetivo premiar um escritor cuja obra contribua com a projeção e o reconhecimento da língua portuguesa, falada por mais de 230 milhões de pessoas no mundo.



Redação: Fátima Pires