Hoje é o Dia de Luta das Pessoas com Deficiência

Para celebrar a data, o RankBrasil destaca os heróis paralímpicos do país, mostrando que é possível superar limites

21/09/2012
2380 Acessos
Imprimir
Hoje é o Dia de Luta das Pessoas com Deficiência
Nesta sexta-feira, 21 de setembro, é comemorado o Dia Nacional de Luta das Pessoas Portadoras de Deficiência. A data foi instituída oficialmente pelo Governo Federal em 14 de julho de 2005.

O dia foi escolhido pela proximidade com a primavera e o Dia da Árvore, numa representação do nascimento das reivindicações de cidadania e participação plena na sociedade, com igualdade de condições.

Também é um momento para refletir sobre a necessidade de inclusão social e combater qualquer forma de preconceito, violência ou violação dos direitos destes cidadãos brasileiros. Além disto, é uma oportunidade de buscar novos caminhos para as dificuldades enfrentadas por estas pessoas, como por exemplo, a locomoção.

No Brasil, de acordo com o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 24% da população, ou seja, 45,6 milhões de pessoas possuem algum tipo de deficiência, seja visual, auditiva, motora ou mental.

Celebrando a data
Para celebrar a data, o RankBrasil destaca os atletas do país que brilharam nos Jogos Paralímpicos de Londres, mostrando suas habilidades e que é possível superar limites, mesmo com problemas físicos ou mentais. Nas Paralimpíadas, o Brasil conquistou o sétimo lugar geral, com 43 medalhas, sua melhor participação em todas as edições do torneio.

Entre os destaques está o nadador Daniel Dias, que obteve seis ouros, quebrando cinco recordes mundiais. O talento dos brasileiros com deficiências também foi revelado no atletismo, quando o país alcançou pela primeira vez um pódio triplo, nos 100m rasos para cegas.

Muitos outros paratletas mostraram para o mundo suas capacidades, merecendo reconhecimento e homenagem. Nesta data, o RankBrasil sugere respeito a todos os deficientes do país, que são diferentes, mas com força de vontade e dedicação, podem ir além do que uma pessoa ‘normal’.


Redação: Fátima Pires