Pamonha gigante de 700kg é distribuída gratuitamente no MT

Caramujo, distrito de Cáceres, não conseguiu superar o próprio recorde, mas atingiu o objetivo de fortalecer a economia da região

04/04/2012
3228 Acessos
Imprimir
Pamonha gigante de 700kg é distribuída gratuitamente no MT
Uma pamonha de 700kg foi distribuída gratuitamente no último sábado (31), durante a 6ª Festa da Pamonha, em Caramujo, distrito de Cáceres – MT.

Mesmo com o tamanho exuberante, os organizadores do evento não conseguiram superar o próprio recorde brasileiro de 860kg, que foi registrado no ano passado.

Apesar de não atingir a marca esperada, Caramujo continua detentor do título atribuído pelo RankBrasil em 2011, de Maior pamonha do país. O evento foi realizado pela Organização Municipal do Desenvolvimento do Caramujo (Omdeca), com o apoio do governo do Estado do Mato Grosso.

Segundo o presidente da Omdeca, Luiz da Guia Cintra de Alcântara, fazer uma pamonha gigante é um trabalho árduo, que envolve vários voluntários. “Não é fácil, é preciso ficar mais de 48 horas acordado para garantir um produto próprio ao consumo”, comenta.

Ele acredita que o objetivo de fortalecer a economia foi cumprido: “Independente da superação do recorde, o esforço valeu a pena, porque Caramujo agora é conhecido em todo o Brasil, como uma região com grande produção de milho”.

Outro aspecto positivo é que, de acordo com o presidente, o destaque nacional garante à região mais investimentos externos, valorizando o comércio do Caramujo.

A Festa da Pamonha aconteceu na Praça de Eventos do Caramujo, às margens da BR 174, no km 30. O fiscal do RankBrasil, Luciano Cadari, acompanhou todo o processo. Ele parabeniza os organizadores da festa e o esforço das pessoas que prepararam a pamonha.

A produção da pamonha
Cerca de 30 pessoas estiveram envolvidas na fabricação da pamonha de 700kg, que levou dois dias para ficar pronta. Para a produção, foram usadas oito mil espigas de milho.

“Mesmo utilizando mais espigas que o ano passado, não conseguimos ultrapassar a marca de 860kg”, reforça Luiz da Guia. Ele explica que para esta safra, a chuva veio um pouco tarde, o que prejudicou a produção de milho na região, como em todo o Brasil.


Redação: Fátima Pires