Liga gay de voleibol mais antiga

Oficializada em 1992, a Liga Gay Amazonense de Voleibol conquista recorde junto ao RankBrasil pelo ineditismo de um projeto ousado para a época

26/08/2015
8368 Acessos
Imprimir
Liga gay de voleibol mais antiga
Liga foi criada com objetivo de confraternização esportiva entre homossexuais. Logomarca é de autoria de Clenilton Alencar
A Liga Gay Amazonense de Voleibol entra para o RankBrasil em 2015 pelo recorde de Liga gay de voleibol mais antiga. Oficializada em 1992, foi criada com o objetivo de confraternização esportiva entre homossexuais do sexo masculino, para tentar minimizar o preconceito.

De acordo com o presidente, professor Agenor Peixoto da Silva, os trabalhos começaram muito antes do registro em cartório. “Os jogos da liga tiveram início em 1972, durante a ditadura militar e na época era tudo feito às escondidas”, lembra.

Ele diz que apesar de ainda existir discriminação, atualmente a liga – que atua como entidade filantrópica – é mais aceita. Os campeonatos de voleibol 4x4 indoor são realizados anualmente, reunindo aproximadamente 120 pessoas, entre atletas, técnicos e auxiliares.

A competição atrai jogadores de vários estados como Amazonas, Ceará, Rio de Janeiro e Pará, e até de outros países, entre eles Argentina, Peru e Uruguai. “O esporte é necessário a qualquer pessoa como forma de lazer e também para estimular a autoestima e tirar da ociosidade, distanciando o atleta das drogas”.

Além da prática esportiva, a entidade atua na questão social com a distribuição de panfletos e palestras sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis. Durante o campeonato, ainda arrecada alimentos não perecíveis, que são doados a um abrigo de crianças com deficiências físicas.
Durante o campeonato de voleibol, tradicionalmente cada equipe defende um determinado país, com suas cores e bandeiras. Em 2014 venceu a equipe do Japão / Foto: Liga Gay Amazonense de Voleibol

Pelo sério trabalho desenvolvido, a liga foi reconhecida em 30 de novembro de 2012 como Patrimônio Histórico Esportivo, pela Fundação Vila Olímpica de Manaus, e em 3 de maio de 2013 recebeu a premiação Cidadania em Respeito à Diversidade, na Categoria Esporte, pela APOLGBT – Associação da Parada do Orgulho Gay.

Segundo o presidente, o registro do recorde brasileiro junto ao RankBrasil é outra grande conquista “É um orgulho para todos. Isso mostra o ineditismo de um projeto ousado para a época da implantação, que deu certo”.

Na oportunidade, Agenor destaca algumas pessoas fundamentais para este título nacional: Clenilton Alencar, autor da logomarca; e os professores João Leite Araújo, que criou o nome da liga; Ronaldo Pedrosa, vice-presidente da liga; Paulo Fernandes, coordenador de arbitragem; e Daniel Coelho, que assumiu a presidência entre os anos de 2010 e 2011.

Campeonato de 2015
Com o tema ‘Viver e não ter a vergonha de ser feliz’, o campeonato de 2015 da liga vai acontecer na Escola Adelaide Tavares de Macedo, no bairro Alvorada I, em Manaus (AM). O local tem capacidade para 300 pessoas e segundo Agenor, sempre lota durante os jogos. Tradicionalmente, cada equipe defende um determinado país, com suas cores e bandeiras.

A abertura será realizada em 4 de outubro, a partir das 15 horas, com o acendimento da pira, juramento do atleta e palestra do presidente da liga. Também são executados os hinos dos países representados e ainda tem a escolha do jogador mais simpático, chamado ‘Musa’, que ganha troféu. A competição segue até 19 de dezembro e as equipes campeãs recebem troféus, medalhas e premiação em dinheiro.


Fátima Pires

Confira a galeria de imagens

Liga gay de voleibol mais antiga


Algumas citações na mídia:
Globo Esporte
O Nortão