Mais jovem faixa preta no taekwondo feminino

Com seis anos, 11 meses e 19 dias, a menina Maria Antônia Figueiredo de Souza bate recorde brasileiro

07/04/2018
14274 Acessos
Imprimir
Mais jovem faixa preta no taekwondo feminino
O representante do RankBrasil, Luciano Cadari entrega o troféu de recordista para a atleta Maria Antônia / Foto: RankBrasil
A menina de Porto Velho (RO), Maria Antônia Figueiredo de Souza bateu o recorde junto ao RankBrasil, de Mais jovem faixa preta no taekwondo feminino. Nascida em 18 de abril de 2011, ela passou no exame para a troca de faixa no dia 7 de abril de 2018, com seis anos, 11 meses e 19 dias.

O evento aconteceu no Ginásio da faculdade Unopar, com a presença do representante do RankBrasil, Luciano Cadari, que oficializou a marca com entrega do troféu de recordista. O título anterior pertencia a uma garota do Espírito Santo, que se tornou faixa preta com sete anos, quatro meses e 22 dias.

De acordo com Cadari, é uma satisfação para o RankBrasil registrar este recorde que mostra tanta dedicação e talento de uma pessoa tão jovem. “Maria Antônia ainda é uma criança, que possivelmente terá um futuro brilhante pela frente no esporte”, acredita.

A recordista gosta de praticar taekwondo porque faz novos amigos e pode viajar. “Gosto quando mudo de faixa para aprender novas técnicas”, destaca. Ela ficou muito feliz com a conquista do recorde brasileiro. “É um sonho poder escrever meu nome na história do esporte que tenho como um estilo de vida”, revela.

Para o futuro, a menina pretende continuar e se tornar mestre. “Papai e mamãe dizem que gostariam de me ver nas Olimpíadas. Quero dar esta alegria a eles”, diz. Quando não está treinando, Maria Antônia leva uma vida normal: gosta de estudar, brincar com bonecas, de correr e de pega-pega.

Segundo a mãe da garota, a administradora Lizandra Figueiredo Alves, a ideia de colocá-la no taekwondo surgiu pela busca por uma atividade que auxiliasse em seu desenvolvimento e lhe proporcionasse uma forma de entreter com novos amigos. “Inicialmente ficou arisca, não queria treinar, mas tivemos paciência e deixamos ela se soltar com o tempo”.

O pai da recordista, o policial militar Carlos de Souza Lima, que também é praticante de taekwondo, conta que a menina é pautada na rotina e se adaptou muito bem à hierarquia e disciplina ensinada pela arte. “Mesmo com pouca idade sabe diferenciar sua rotina de treino com a rotina social”, comenta. “Maria Antônia é uma criança feliz no esporte”, acrescenta.

Para os pais, o reconhecimento do recorde pelo RankBrasil é a oportunidade de ver uma sementinha brotar e com a possibilidade de se tornar uma árvore linda e de belos frutos. “Nossa filha iniciou no esporte como uma forma de diversão e este título representa sua primeira conquista histórica”, diz Carlos. “A família está encantada, orgulhosa, boba, vaidosa: Maria Antônia é nossa pop star”, completa Lizandra.
Menina bate recorde brasileiro no taekwondo ao receber a faixa preta com seis anos, 11 meses e 19 dias / Foto: Carlos de Souza Lima

Importância do esporte e conquistas
A mãe da recordista acredita que todo e qualquer esporte é fundamental na vida de uma criança, auxiliando em seu desenvolvimento, seja físico ou mental. “Mesmo que a criança não se torne um atleta de ponta terá grande chance de se transformar em um ser humano melhor”.

Na escola, a garota está no terceiro ano do ensino fundamental e os pais procuram balancear sua rotina estudantil com a vida de atleta, pela importância dos dois segmentos. “Maria Antônia possui um desenvolvimento cognitivo acima da média, comprovada por laudos psicopedagógicos”, conta o pai.

Filiada à Federação Olímpica Roraimense de Taekwondo, a atleta ingressou no esporte em 2014, com dois anos e nove meses. Atualmente treina taekwondo de três a quatro vezes por semana e possui diversas conquistas: são 40 medalhas e dois troféus, sendo que um deles recebeu em março de 2018, como Atleta Destaque de 2017.

Recorde superado:

RecordistaCidade/EstadoIdade que recebeu a faixa pretaAno
Maria Antônia Figueiredo de Souza Porto Velho (RO) Seis anos, 11 meses e 19 dias2018
Júlia Gonçalves Nogueira Cariacica (ES) Sete anos, quatro meses e 22 dias2008






Algumas citações na mídia:
News Rondônia
Água Boa News