Maior tempo ininterrupto declamando poemas de autoria própria sem repetições

Recorde é do poeta e escritor Guimarães Rocha, que declamou poesias durante 15 horas sem parar, em evento realizado na cidade de Campo Grande – MS

31/10/2012
4469 Acessos
Imprimir
Maior tempo ininterrupto declamando poemas de autoria própria sem repetições
O poeta e escritor Antônio Alves Guimarães, mais conhecido como Guimarães Rocha, entra para o RankBrasil em 2012 pelo recorde de Maior tempo ininterrupto declamando poemas de autoria própria sem repetições.

Ao todo foram 15 horas de declamações sem parar, em evento que aconteceu no dia 24 de agosto de 2001, na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), em Campo Grande – MS. O recordista começou a recitar as poesias às 8h07 e terminou às 23h07.

Guimarães Rocha declamou aproximadamente 500 poemas, todos retirados de 15 obras escritas por ele mesmo, o que resultou em outro recorde: de Maior número de livros poéticos lançados simultaneamente. “O objetivo principal foi mostrar a força e a beleza da poesia, e a necessidade de alcançar mais espaço e incentivo na área”, destaca.

O espetáculo atraiu um público de mais de dois mil participantes, entre poetas, acadêmicos do curso de Letras da UCDB, estudantes da rede pública, professores, músicos e policiais. A equipe de organização e apoio foi composta por 30 pessoas, que auxiliaram nos trabalhos.

Sobre o recorde brasileiro, o poeta diz que o título é de muita valia para quem viu e acreditou em seu trabalho. “Espero que Campo Grande e Mato Grosso do Sul saibam aproveitar esse momento importante para nossa poesia”, comenta. “Vivo com entusiasmo e alegria a expectativa de receber a certificação e troféu do RankBrasil”, completa.

Depois da conquista nacional, o recordista agora tem outro objetivo bastante ousado. Ele pretende difundir ainda mais a poesia, não apenas no Brasil, mas também em outros países: “Quero me tornar um cidadão do mundo declamando poesias”.



Interatividade
Também participaram do evento músicos do Estado, que fizeram o acompanhamento musical, o ator e poeta Ruberval Cunha, que teatralizou alguns poemas e a bailarina Karina, que realizou performances. “Existe um tempo marcado para que haja um complemento, um gesto, uma palavra, uma nota musical e sua sequência: o retorno do verso no realce de um instrumento musical nos permite refletir melhor sobre o poema”.

De acordo com ele, a interatividade entre poesia, música, teatro e dança funcionou muito bem no palco, alcançando excelentes resultados, depois de quatro meses consecutivos de treinamento em equipe. “O desempenho foi satisfatório e o público aplaudia a cada final de poema”, lembra.

Agradecimentos
Pelo recorde, Guimarães Rocha agradece ao Estado do Mato Grosso do Sul, através da Fundação de Cultura, à Policia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul e à Universidade Católica Dom Bosco. “Também agradeço aos amigos professores e alunos das escolas públicas do MS, e à população em geral que recentemente aplaudiu e assinou pelo reconhecimento do recorde”, diz.

Durante a maratona
Durante as 15 horas de declamações, o recordista só ingeriu líquidos, entre água natural e sucos, contando com a ajuda de um assistente de palco. Para urinar, ele utilizou um recipiente especial, colocado estrategicamente atrás do púlpito, para não ser visto pelos presentes.

Preparação e dificuldades
Guimarães Rocha se preparou durante quatro meses para o desafio, fazendo 40 minutos de ginástica e declamando poesias de quatro a seis horas diariamente. Também realizou acompanhamento com médico geral, fonoaudiólogo e nutricionista. Entre as dificuldades da obtenção do recorde, o poeta aponta a falta de patrocínio.

Comprovação
Para a conquista do recorde, além de toda documentação necessária, entre ata do evento e assinaturas do público presente, ele apresentou um abaixo-assinado para o reconhecimento do título, com mais de 11,5 mil nomes, realizado através da internet.

Carreira
O recordista nasceu em 03 de julho de 1956, em Quixeramobim – CE e atualmente reside em Campo Grande. Ele é formado em Letras e pós-graduado em Gestão de Segurança Pública e em Fundamentos da Educação, com concentração em Filosofia.

Guimarães Rocha é membro fundador da União Brasileira de Escritores (UBE/ MS) e membro efetivo da Academia Sul-mato-grossense de Letras. O poeta também é major da reserva da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul e foi professor de Literatura Brasileira.

Ele ainda compôs diversas músicas gravadas e escreveu mais de 20 livros. Cidadão honorário em vários municípios, o escritor profere palestras educativas e culturais e já realizou declamações de poesias em vários municípios do Mato Grosso do Sul.

Acreditando no papel da poesia na vida das pessoas, procura colocar a sua arte à disposição em todos os meios de comunicação possíveis. Além de livros e declamações, expõe seus trabalhos artísticos em postais, camisetas e CDs.

Nome artístico
O nome artístico com o qual assina seus livros é resultado de uma parceria que o recordista teve no início de sua carreira poética, com o amigo José Alves da Rocha Neto. “O tempo passou, a parceria acabou e eu fiquei conhecido como Guimarães Rocha”, conta.

Paradoxo entre policial e poeta
Áreas completamente diferentes, ele concorda que existe um paradoxo entre ser policial e ao mesmo escrever poesias: “Existe um paradoxo, mas é essa força que nos permite realizar com mais firmezas as ações de policial militar sem ser violento, graças à leveza na alma de um ser que ao mesmo tempo é poeta”.

Site oficial
Guimarães Rocha mantém um site dedicado aos amantes da literatura, da poesia e de toda expressão artística construtiva. Além de divulgar a arte do poeta, o espaço é aberto a participação de alunos, professores, escritores, artistas, autoridades da cultura e profissionais em geral. O site pode ser visualizado clicando aqui.

Redação: Fátima Pires


Matéria publicada em:
Midiamaxnews
Idest
A Tribuna Regional
Dourados News
Campo Grande Notícias