Primeiro brasileiro a receber coração artificial implantado no corpo

Cirurgia aconteceu em 19 de julho de 1999, no Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul, na cidade de Porto Alegre

21/12/2012
9355 Acessos
Imprimir
Primeiro brasileiro a receber coração artificial implantado no corpo
O pedreiro Dionísio Eloi passou por cirurgia inédita no país, implantando o HeartMate - Imagem: Revista Veja
O gaúcho pedreiro Dionísio Eloi, que entra para o RankBrasil, foi o primeiro brasileiro a receber um coração artificial implantado dentro do corpo humano.

Realizado pelo Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul, na cidade de Porto Alegre, e comandado pelo cirurgião Ivo Nesralla, o procedimento aconteceu em 19 de julho de 1999.

O coração artificial ficou conhecido como HeartMate – modelo desenvolvido nos Estados Unidos. Trata-se de um equipamento elétrico, colocado abaixo do diafragma e que bombeia o sangue em um coração em falência, sem risco de coagulação.

Com 1,2 quilo, o aparelho tinha cerca de cinco centímetros de largura e 10 centímetros de diâmetro. Foi feito de titânio e material biológico, bombeando cerca de 60 a 90ml de sangue por batida cardíaca, o mesmo que um coração natural.

A única ligação do coração artificial ao exterior era através de um fio elétrico, revestido de material biológico. Esse fio era ligado a um controlador colocado em um cinturão, para o paciente usar na cintura, monitorando a bomba cardíaca e as baterias – recarregadas em um período entre cinco e oito horas.

O paciente
Dionísio, na época com 46 anos de idade, entrou em choque cardiogênico (quando o coração não é capaz de bombear o sangue para as necessidades do corpo). Pela inexistência de doador no momento e sem outra opção, foi preciso a realização do implante do coração artificial para que o paciente continuasse vivo. O gaúcho foi operado pelo SUS e o equipamento artificial, avaliado em US$ 450mil, doado por empresas.

Primeiro implante fora do organismo
Seis anos antes da implantação no corpo de Dionísio, o Instituto do Coração de São Paulo (Incor) realizou o primeiro implante de coração artificial na América Latina, usando um equipamento nacional. Porém, o aparelho ficava fora do organismo e limitava os movimentos do paciente, uma vez que era pesado e devia ser transportado em um carrinho.

No mundo
Em 02 de dezembro de 1982, o cirurgião William Devries implantou o Jarvik-7, o primeiro aparelho do mundo projetado para ser um coração totalmente artificial. A cirurgia foi feita na Universidade de Utah, nos EUA e o paciente era o dentista Barney Clark. Clark viveu 112 dias com o coração antes de sucumbir às complicações causadas pelo aparelho.


Fontes: Revista Veja, Revista Época, Jornal do Brasil
Redação: Fátima Pires