Primeiro brasileiro a receber prêmio do Instituto Nacional de Saúde dos EUA

Neurocientista Miguel Nicolelis foi premiado em julho de 2010, por sua pesquisa para reabilitação de pacientes que sofrem de paralisia corporal

17/12/2012
4061 Acessos
Imprimir
Primeiro brasileiro a receber prêmio do Instituto Nacional de Saúde dos EUA
Na pesquisa, recordista investiga os princípios básicos de neurofisiologia - Imagem: divulgação
O médico e cientista Miguel Angelo Laporta Nicolelis, que entra para o RankBrasil, foi o primeiro brasileiro a receber o prêmio do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos para pesquisas pioneiras.

A premiação aconteceu em julho de 2010 e o recordista recebeu US$ 2,5 milhões (o equivalente a cerca de R$ 4,5 milhões) em financiamento, para expandir seus estudos do cérebro humano.

Miguel conquistou o prêmio por uma técnica que dá esperanças a pessoas portadoras do mal de Parkinson – doença degenerativa do sistema nervoso central. Feito com camundongos, o estudo ganhou capa em uma edição do famoso periódico científico ‘Science’.

Na pesquisa, ele investiga os princípios básicos de neurofisiologia, que permitem circuitos neurais no cérebro gerar comportamentos sensoriais, motores e cognitivos. O objetivo é desenvolver próteses neurais para a reabilitação de pacientes que sofrem de paralisia corporal.

O recordista nasceu em São Paulo, em 07 de março de 1961. Miguel se formou em medicina na Universidade de São Paulo (USP), onde também cursou doutorado em Fisiologia Geral. O pós-doutorado foi realizado em uma universidade da Filadélfia, nos EUA.

Atualmente o brasileiro é professor de Neurobiologia, Engenharia Biomédica e Ciências Psicológicas e do Cérebro, no Centro para a Neuroengenharia da Universidade Duke, em Durham, nos Estados Unidos, onde ainda atua como pesquisador.

O prêmio
O Prêmio Pionner do Instituto Nacional de Saúde é o mais prestigioso oferecido pelo governo dos Estados Unidos para pesquisadores da área. O objetivo é o reconhecimento de cientistas com criatividade excepcional, que propõem pesquisas biomédicas e de comportamento altamente inovadoras e com potencial de produzir um grande impacto em problemas importantes.

Reconhecimento
Por suas pesquisas, na década de 2000, o neurocientista Miguel Nicolelis foi considerado pela revista ‘Scientific American’ um dos 20 maiores cientistas do mundo. Em 2009, foi nomeado pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano.


Fontes: G1 Ciência e Saúde, Instituto Internacional de Neurociência de Natal e Wikipédia
Redação: Fátima Pires