Maior réplica funcional do cubo de Rubik

Recorde pertence ao carioca Paulo dos Santos Costa, que construiu um cubo mágico 3x3x3 gigante com 103 cm de arestas

08/05/2018
2364 Acessos
Imprimir
Maior réplica funcional do cubo de Rubik
Paulo dos Santos Costa bate recorde brasileiro ao produzir um cubo mágico de 3x3x3, com 103 cm de arestas e peso de 38 kg / Foto: Arquivo recordista
O carioca Paulo dos Santos Costa bate recorde junto ao RankBrasil em 2018 por ter construído a Maior réplica funcional do cubo de Rubik, também conhecido como cubo mágico.

Feito de pluma de isopor revestida com tinta epóxi e esmalte à base d’água, o jogo que recebeu o nome de ‘Gigantic 103’ na versão 3x3x3 (com seis faces e seis cores diferentes), 103 cm de arestas e pesa 38 kg. O eixo central foi estruturado em PVC, fibra de vidro e rolamentos de bicicleta.

A produção do cubo começou em 4 de março de 2016 e terminou em 6 de novembro de 2017, com trabalho feito quase que diariamente. De acordo com o recordista, que mora em Águas Claras, no Distrito Federal, o grande desafio foi construir um objeto tão grande dentro de um apartamento de 68m² ocupado por cinco pessoas.

Aposentado desde 2012, Paulo era técnico em encadernação e conservação de documentos de órgão público federal. A decisão de construir o objeto gigante no Brasil veio depois de conhecer pela internet alguns cubos imensos pelo mundo: cubo de Tony Fisher (Inglaterra), que detém o recorde mundial com 157 cm de aresta e 100 kg; o da Universidade de Michigan (Estados Unidos), com 131 cm de aresta e 680 kg; e o de Abe Wickhan (África do Sul), com 90cm e peso não informado.

“Conquistar o recorde de Maior réplica funcional do cubo de Rubik do Brasil é contemplar o reconhecimento de todo o esforço e dedicação”, destaca Paulo. Segundo ele, o título também pode incentivar outros brasileiros para que no futuro construam cubos funcionais maiores para bater seu recorde e quem sabe quebrar o mundial.

Depois de pronto, o objeto ficou armazenado durante quatro meses, de novembro 2017 a fevereiro de 2018, em um boxe de aluguel. Como o custo começou a pesar no orçamento doméstico, o cubo voltou para a casa do recordista.

Conforme o carioca, como o seu apartamento é pequeno para guardar o objeto, ele ainda não decidiu o que fazer com o empreendimento. Talvez desmonte as 26 peças e o eixo central, distribuindo o cubo para que alguns parentes o guardem. “Se surgir algum interessado em cobrir parte do custo de produção posso vender, ou quem sabe faço a doação para alguma entidade que tenha condições de preservá-lo”, diz.

Paixão pelo cubo mágico
Quando mais jovem Paulo gostava de uma variedade de quebra-cabeças e era inclinado para as ciências exatas. Nessa época, havia ouvido falar do cubo mágico, um brinquedo interessante vindo do exterior que era muito caro. Mesmo sem contato com o objeto, por muito tempo isto ficou na sua memória.

No natal de 2014 recebeu de presente da sua esposa um cubo mágico 3x3x3.
Com ajuda de tutoriais disponibilizados na internet por famosos cubistas brasileiros, começou a aprender a resolvê-lo. Em 2015, um de seus filhos lhe trouxe do exterior algumas variações do cubo de Rubik, entre eles um personalizado pelo Museu de Amsterdã (Holanda), com seis pinturas de Van Gogh – uma em cada face. “Foi o estopim para começar a colecionar quebra-cabeças”, revela.

No mesmo ano, Paulo participou de um campeonato e se tornou um competidor com registro na World Cube Association (órgão máximo que regula as competições de cubo mágico no mundo). Apesar disto, o foco do recordista nunca esteve nas competições, mas sim na compreensão da sua estrutura matemática.

O carioca criou uma logomarca pessoal (O Velho e o Cubo) para o identificar nesse meio e personalizar alguns cubos souvenires que foram distribuídos gratuitamente em campeonatos brasilienses entre 2015 a 2017 (Brasília Open e Spring Open). “O que mais me fascina no cubo mágico é a sua arquitetura funcional e a sua imensa quantidade de possibilidades”, destaca.

Benefícios do jogo
De acordo com Paulo existem alguns estudos científicos de universidades indicando que a prática do cubo mágico estimula a percepção e estruturação de problemas, a concentração, a memorização, o raciocínio lógico e as habilidades motoras finas. “Isso contribui para melhorar a aprendizagem e retardar a senilidade mental”, finaliza.

Cubo de Rubik
Ícone na década de 1980 e considerado um dos brinquedos mais populares do mundo, o cubo de Rubik, também conhecido como cubo mágico é um quebra-cabeça tridimensional, inventado em 1974 pelo húngaro Erno Rubik. O jogo é geralmente confeccionado em plástico e possui várias versões, sendo a mais comum 3x3x3, composta por seis faces e seis cores diferentes, com arestas de aproximadamente 5,7cm

Veja o vídeo:



Algumas citações na mídia:
News Rondônia