Mais jovem autor de ficção científica

O recorde é de Adelino dos Santos Abreu, na época com 15 anos de idade

14/01/2004
7846 Acessos
Imprimir
Mais jovem autor de ficção científica
Adelino dos Santos Abreu tinha 15 anos quando escreveu ´Viagem a um Planeta Artificial por Rapto´ / Foto: Arquivo pessoal - Adelino dos Santos Abreu
Adelino dos Santos Abreu é o Mais jovem autor de livro de ficção científica do Brasil, título conquistado em 2004. Da cidade de São Paulo (SP), ele lançou sua primeira obra em 1966, na época com 15 anos de idade.

A obra ‘Viagem a um Planeta Artificial por Rapto’ possui 170 páginas e mostra um personagem que descobre milhões de coisas geniais e traz respostas ao porquê de muita coisa.

“Aos 12 anos vinha à minha mente a primeira estória de ficção científica e isso me ocorreu logo que terminei de ler um livro sobre eletricidade", conta o escritor.

Dificuldades
A falta de uma máquina de escrever era seu grande problema, uma vez que se cansava rapidamente escrevendo à mão e muitas vezes perdia seu raciocínio, pois não conseguia uma conexão entre o pensamento e a escrita.

Ao perceberem sua dificuldade, os pais de Adelino compraram uma máquina e a partir de então, o recordista não parou mais de ter ideias.

Outra dificuldade que enfrentou para o lançamento do livro foi em relação a sua idade. Os editores não acreditavam na sua obra e o recordista decidiu capitalizar um dinheiro e imprimir os livros por conta própria.

Projeto Multimídia
Após o lançamento do seu livro, o autor deu início ao que se tornaria o Voyage, o primeiro projeto Multimídia da Ficção Científica Brasileira. A notícia do lançamento do romance foi divulgada nos jornais paulistanos da época.

Com o amadurecimento profissional, o recordista adotou uma postura em relação a sua obra. Primeiro decidiu dar continuação ao romance original, transformando-o numa trilogia.

Mais tarde se empenhou em alterar seu projeto literário para outro, mais abrangente, um projeto multimídia, que incorporaria não apenas a trilogia, mas também CDs de áudio com as trilhas sonoras dos romances e shows musicais ao vivo.

Também envolveria DVDs e fitas de vídeo, onde as melodias das trilhas seriam transformadas em videoclipes, inspirados nos temas principais da trilogia.

As obras
Por ocasião do lançamento de sua segunda edição, a obra de estreia do recordista foi rebatizada para ‘Voyage: I Abdução’ (Edicon, 1985), tornando-se o primeiro romance da trilogia.

O segundo romance, ‘Voyage II: Gênesis’ foi concluído em 1997, mas ainda aguarda publicação. A conclusão da trilogia ‘Voyage III: Revelação’ ainda se encontra em fase de preparação.

Trilha sonora
A trilha sonora de ‘Voyage I: Abdução’ foi composta cor Cláudio Denis Maksoud, com título e letras em inglês. Os videoclipes correspondentes são legendados em português.

Aparentemente, as músicas não guardam relação direta com o enredo do primeiro romance. Tal não ocorre, contudo, na trilha sonora do ‘Voyage II: Gênesis’, também de autoria de Maksoud. Aqui, cada uma das 13 melodias foi composta especialmente para cada capítulo homônimo do segundo romance.


Redação: RankBrasil
Revisão: Fátima Pires