Gata com maior número de cirurgias do Brasil

Kelly é uma gata que recebeu a certificação do RankBrasil por ser recordista em operações. Ela sofreu sete cirurgias nos seus 17 anos de vida.

25/06/2012 15:00:00
2778 Acessos
Imprimir
Gata com maior número de cirurgias do Brasil
Kelly é uma gatinha, mistura de Angorá com Persa, branca e com dois grandes olhos azuis. Ela é recordista em operações, foram sete durante os seus 17 anos de vida.

Nascida em 10/10/85, em Indaial, Santa Catarina, ela fez a sua primeira cirurgia em 1987, devido a uma complicação no parto de sua primeira ninhada.

Dois anos depois, na sua segunda ninhada, ela novamente teve complicações e foi submetida a uma cirurgia para retirada dos filhotes. Por sua dificuldades nos partos foi castrada, tendo seu útero e ovário retirados.

Apesar de morar perto de uma estrada e conviver com vários cachorros, Kelly, nunca sofreu nenhum tipo de atropelamento, como a maioria dos animais da família, e nem foi atacada por outro animal, " ela é uma gata que sempre se relacionou bem com todos os cachorros da casa”, diz o seu dono, Alexander Holdorf Simão.

No entanto, em janeiro de 2002, apareceu um tumor na orelha de Kelly. Após isso, ela foi submetida a uma série de cirurgias de remoção do tumor. Foram quatro cirurgias de retirada de partes da orelha e de parte do lábio, isso devido ao câncer que havia se espalhado para a região da boca. A última cirurgia acabou provocando uma inevitável deformação no rosto de Kelly.

Apesar de ter sido submetida a tantas cirurgias ela é uma gata dócil e calma. “Nunca machucou alguém com arranhão ou mordida”, conta o dono, esse foi um dos principais motivos que fez com que ela tenha sido roubada três vezes. Alexander teve que fazer anúncios em rádio para conseguir resgatá-la, o que acabou sendo fácil devido a sua popularidade na cidade, já que é, segundo Alexandre, a primeira gata branca de olhos azuis de Idaial.

Infelizmente, Kelly terá que ser sacrificada, contrariando a vontade da família, mas a fim de livrá-la do sofrimento faz com que nem se alimente direito.

Redação: Fernanda Alves - RankBrasil/Revisão:- Jornalista - Raquel Susin - 27/09/2007