CURIOSIDADE - Pesquisa explica o bocejo contagioso

Sobre este assunto, o RankBrasil destaca o brasileiro que ficou mais tempo acordado, resistindo durante 109 horas e 21 minutos

27/01/2015
3124 Acessos
Imprimir
CURIOSIDADE - Pesquisa explica o bocejo contagioso
O bocejar funciona como um mecanismo de sobrevivência para ficar mais alerta / Foto: Depositphotos.com[SergeyNivens]
Que o bocejo é um reflexo involuntário e contagioso todo mundo sabe, mas o motivo que isto acontece é tema para a ciência desvendar.

Uma pesquisa realizada em conjunto entre universidades dos Estados Unidos e da Áustria concluiu que o bocejo contagioso ocorre somente em determinadas áreas com temperaturas externas amenas.

Conforme o trabalho científico, não se trata das estações do ano e nem da luz do dia, mas de uma temperatura ambiente em torno de 20º C. Em clima muito quente ou muito frio, o ato repetitivo diminui consideravelmente.

A vontade de bocejar ao ver o outro fazendo o mesmo funciona como um mecanismo de sobrevivência. Esta ação refresca o cérebro, tornando a pessoa mais alerta e menos propensa a cochilar.

Já a forma espontânea pode ocorrer antes e depois de dormir, e também quando o indivíduo está entediado ou estressado. De acordo com cientistas, seja de maneira espontânea ou contagiosa, o bocejar mantém a temperatura do cérebro equilibrada porque aumenta o fornecimento de oxigênio.

Maior tempo acordado
Sobre este assunto, o RankBrasil destaca o recorde de Maior tempo acordado, que pertence ao locutor Luis Alberto Pantaleão Castro, conhecido como Beto Café. Em 2007, ele ficou sem dormir durante 109 horas e 21 minutos.

Fontes: Mega Curioso, Terra e Mundo Estranho
Redação: Fátima Pires