Maior favela em miniatura construída de forma coletiva e sustentável

Recorde pertence à Fluência Casa Hip Hop e ao Studio Santa Lata, que criaram uma maquete para representar a Zona Norte de Caxias do Sul (RS)

22/12/2022
3454 Acessos
Imprimir
Maior favela em miniatura construída de forma coletiva e sustentável
Maior favela em miniatura construída de forma coletiva e sustentável tem 1,5 mil casinhas e 24 metros quadrados / Foto: Arquivo Fluência Casa Hip Hop
A Fluência Casa Hip Hop e o Studio Santa Lata, de Caxias do Sul (RS) entram para o RankBrasil em 2022 pela Maior favela em miniatura construída de forma coletiva e sustentável. A maquete tem 1,5 mil casinhas, 24 metros quadrados e representa os bairros da zona norte da cidade.

De acordo com o fundador da Fluência Casa Hip Hop, Andrigo Fernando Martins, aproximadamente 1.500 crianças e adolescentes participaram do projeto, construindo as casinhas entre os dias 24 e 28 de outubro, nas oficinas realizadas em escolas municipais e serviços socioassistenciais da zona norte.

O projeto é marcado pela acessibilidade e sustentabilidade. Segundo Andrigo, as casinhas foram feitas com caixas de leite e papelão, sendo 90% do material sustentável. Depois de prontas, elas foram unidas formando uma impressionante maquete. “No meio dela também há prédios que representam as escolas envolvidas, parceiros e até uma estação de tratamento de esgoto”, comenta.

Conforme o fundador da Fluência, o objetivo foi colocar o protagonismo e a comunidade em um marco histórico e dar continuidade as ações sociais e culturais que acontecem no local. “Também há a perspectiva de fazer ampliações para outras zonas periféricas da cidade, com uma nova ferramenta de construção não só profissional mais principalmente humana”.

Andrigo diz que a maior dificuldade foi a arrecadação de verbas para que o projeto ganhasse forma e sustância juntamente com as empresas, escolas e comunidade em geral. “Outro obstáculo foi o uso de técnicas facilitadoras para que o público atingido tivesse facilidade de compreensão ao uso dos materiais para proposta do projeto”, lembra.

Segundo ele, o recorde junto ao RankBrasil significa a quebra de barreiras: “Mostra o potencial de um coletivo de jovens e crianças, além de trazer a visibilidade para minorias, dando a eles o empoderamento de sua classe social”. A maquete foi exposta na Fluência Casa Hip Hop, mas a intensão é que a instalação seja exibida permanentemente no museu do Hip Hop em Porto Alegre (RS).

Projeto favela em miniatura
Andrigo conta que em 2013 tiveram a ideia de fazer uma pequena maquete que representasse a comunidade. Esse trabalho foi desenvolvido dentro de quatro instituições que atendem crianças e adolescentes em vulnerabilidade social. “Conseguimos atingir a meta enfatizando um grande trabalho de resiliência, empoderamento e identidade dentro da comunidade, além da estética do projeto que superou nossas expectativas”, lembra.

De acordo com ele, dentro dessa pequena iniciativa houve a decisão de ampliar o projeto, para englobar mais crianças e adolescentes da comunidade. “A ideia é dar mais visibilidade a essas pessoas e mostrar o potencial que a favela tem: seja por iniciativas culturais ou de qualquer outra maneira que envolva um estímulo social”.

Fluência Casa Hip Hop e Studio Santa Lata
A Fluência Casa Hip Hop é uma associação cultural sem fins lucrativos que visa a produção da Cultura Hip Hop através de ações que mesclam os diferentes elementos deste movimento: o Breaking (no segmento da dança), o Graffiti (nas artes visuais), o DJ e o MC (representando a música).

Está localizada no bairro Santa Fé, na zona norte do município de Caxias do Sul. Inaugurada em agosto de 2019, a Fluência é tida como referência entre o movimento Hip Hop e a cena cultural local, tendo como um de seus objetivos o respeito, a valorização e a difusão dos elementos originários da cultura.

Em fevereiro de 2021, a entidade recebeu a certificação como ‘Ponto de Cultura’, reconhecida pelo Ministério da Cidadania – Secretaria Especial da Cultura, como um espaço que desenvolve e articula atividades culturais na comunidade, contribuindo para o acesso, a proteção e a promoção dos direitos, da cidadania e da diversidade cultural no Brasil.

Criado em 2012, o Studio Santa Lata é um coletivo de ativistas urbanos periféricos. Através de ações diretas das artes de rua se manifestam e protagonizam projetos socioeducativos que dão visibilidade ao potencial das crianças e jovens, que de alguma forma tenham afinidade ou queiram vivenciar a imersão à arte.

Tags: