Dia da Doação de Órgãos faz refletir sobre a importância de ser doador

Data é celebrada em 27 de setembro e na oportunidade, o RankBrasil traz recordes relacionados a transplantes que salvaram vidas

27/09/2012
5033 Acessos
Imprimir
Dia da Doação de Órgãos faz refletir sobre a importância de ser doador
O Dia Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos é celebrado nesta quinta-feira, 27 de setembro. Na oportunidade, o RankBrasil traz recordes relacionados a transplantes que salvaram vidas, sugerindo a conscientização sobre a importância de ser doador.

A data foi escolhida porque também é o Dia de Cosme e Damião, irmãos gêmeos originários da Arábia, que morreram em cerca de 300 d.C. Eles foram martirizados na Síria, por exercerem a medicina sem cobrar nada das pessoas.

De acordo com a lenda, um sacristão teve uma das pernas amputadas e os irmãos transplantaram a perna de um cadáver de uma pessoa negra no homem mutilado, o qual passou a ter uma perna de cada cor: a simbologia mostra que a doação não tem cor ou credo, mas é um ato de amor e solidariedade.

Pela necessidade de reflexão sobre o tema, o RankBrasil evidencia alguns recordes relacionados à doação de órgãos, entre eles, o primeiro transplante de coração do país, o primeiro multivisceral, o primeiro transplante de ovário do Brasil – que foi protagonizado por gêmeas – e o mais jovem a fazer transplante de fígado.

Transplantes no Brasil
A realização de transplantes de órgãos no Brasil começou no ano de 1964 e é regulamentada pela Lei 9.434, de 04 de fevereiro de 1997 e pela Lei 10.211, de 23 de março de 2001.

A doação de órgãos e tecidos pode ocorrer através de um doador vivo que tenha até o quarto grau de parentesco com o receptor, desde que não haja prejuízo para o doador. Para doar órgãos após a morte não é necessário deixar documento por escrito. Basta que sua família esteja ciente de sua vontade, para poder autorizar a doação.


Redação: Fátima Pires