Maior quelônio de água doce

Com uma média de vida acima de 100 anos, a tartaruga-da-amazônia pode pesar até 60kg

13/09/2008
12406 Acessos
Imprimir
Maior quelônio de água doce
A tartaruga-da-amazônia é o Maior quelônio de água doce do Brasil. Da família podocnemididae, a tartaruga fluvial é encontrada no rio Amazonas e seus afluentes.

É uma espécie de grande porte. Uma tartaruga adulta pode chegar a medir até 1,5m de comprimento e 60cm de largura, e pesar até 60Kg.

Seu casco tem formato oval e os ossos são cobertos por um escudo córneo. A carapaça geralmente é preta acinzentada e o dorso é amarelo, com manchas escuras na parte ventral.
Possui patas curtas e potentes: a anterior tem cinco unhas e a posterior, quatro. A cabeça é achatada e pequena. A recordista também é conhecida pelos nomes de araú, jurará-açu e tartaruga verdadeira.

A tartaruga possui inimigos naturais quando filhotes, que são os urubus, as piranhas, os jacarés, os jaús e alguns peixes grandes. A época de reprodução destes répteis vai de setembro a dezembro. A tartaruga enterra uma média de 60 a 100 ovos em um buraco de 44 a 56cm de profundidade, espalhando areia para cobri-los e camuflar o local.

Dentro de 45 a 60 dias nascem as tartaruguinhas, que imediatamente correm para o rio. O local da postura é chamado tabuleiro. Os filhotes se alimentam de pequenos peixes e plantas aquáticas. O alimento preferido das tartarugas adultas são as frutas, que variam conforme os meses do ano, devido à época de amadurecimento.

Características
Nome vulgar:tartaruga-da-amazônia
Classe:Reptilia
Ordem:Chelonia
Família Podocnemididae
Nome científico:Podocnemis expansa
Distribuição:norte do Brasil, Guianas, Venezuela e Colômbia
Habitat:baías dos grandes rios
Hábito:diurno
Comportamento:grupo
Longevidade:acima de 100 anos
Época reprodutiva:setembro a dezembro
Reprodução:incubação - 250 dias
Alimentação na natureza:vegetais e peixes
Alimentação em cativeiro:vegetais, peixes, carne moída e ração
Causas da extinção:seus ovos e filhotes são utilizados como alimento pelos moradores da região Amazônica. Também como matéria-prima para óleo, cosméticos e tamborins.



Redação: RankBrasil
Revisão: Fátima Pires