Livro com maior número de pensamentos

O recorde é de Bernardo Daniel Kullok, que lançou uma obra em 2002 com mil pensamentos

15/10/2003
5699 Acessos
Imprimir
Livro com maior número de pensamentos
Obra ´Encontros Cósmicos 2: As Chaves do Infinito´ possui mil pensamentos / Foto: Arquivo recordista
Bernardo Daniel Kullok, de Caratinga (MG), entra para o RankBrasil por escrever o Livro com maior número de pensamentos do país. Intitulada ´Encontros Cósmicos 2: As Chaves do Infinito´, a obra foi lançada em 2002, contendo mil pensamentos.

Esse é o segundo livro de Jonatan Cidon, pseudônimo que o autor assina suas obras. O seu primeiro, ´Encontros Cósmicos´, foi publicado em 1992.

A obra
O livro recordista levou cerca de uma década para ser feito. Quando começou a escrever seus pensamentos, Bernardo não tinha um objetivo certo sobre o número de pensamentos que a obra iria conter.

Os textos foram surgindo a partir de sua inspiração, até que decidiu reunir o que já havia escrito e lançar o livro. No entanto, ele havia feito 1.200 pensamentos, mas após consultar alguns amigos, resolveu publicar apenas mil pensamentos.

O autor começou a escrever os seus pensamentos em 1990, sem ter pensado ou planejado com algum tipo de antecedência. “Eu simplesmente passei a escrever, não tenho uma explicação lógica, sei que absolutamente nada na existência acontece sem um motivo por trás das simples aparências, que são maiores do que possamos imaginar”, diz.

Inspiração
Os seus pensamentos surgiam em diversos momentos: ao acordar, tomando banho, ao ver um belo entardecer. Para ele, qualquer instante ou sentimento serviam como inspiração, "pois ela é espontânea".

Quando tinha alguma ideia, escrevia os textos em qualquer tipo de papel que estivesse ao alcance, fosse um guardanapo ou recibo de banco.

“O escritor escreve em momentos especiais, sobre coisas que aparecem para ele. A sua inspiração depende da fé ou crença presentes nele”, afirma.

Religiosidade
Um dos temas mais recorrentes de seus pensamentos é a religiosidade. Ele conta que já passou por várias religiões. "Conheci vários caminhos e a minha obra contém um pouco dessas impressões", comenta.

“A palavra religiosidade vem do latim, do verbo ‘religare’, que significa união. Nesse caso, o homem com o seu Criador é um exercício diário, nada fácil. A dificuldade está quando o homem não quer exercitar a abertura do seu coração", declara.

E completa: "Na minha opinião, só o coração faz a grande diferença. A mente e o corpo são limitados, só resta ao ser humano a emoção, a pureza e a sinceridade. Sabemos que isso não é fácil, mas o querer é o poder que está em nós".

Alguns pensamentos de Jonatan Cidon
´O homem que não refletir, não irá além, não poderá transcender´
´A escolha, sim, a escolha, é o caminho da consciência´
´A utopia, está baseada, na falta de fé´
´Fantástica é a glória de Deus, descrita em todos os livros sagrados de todas as religiões, - serão todos eles mentirosos...?´
´A solidão as vezes, aproxima mais as pessoas´

Nota de falecimento
Jonatan Cidon faleceu em abril de 2005, aos 47 anos, de aneurisma cerebral.


Redação: RankBrasil
Revisão: Fátima Pires