Mais idoso a lançar um livro no Brasil

Aos 94 anos, José Carreiro publicou seu primeiro livro ´Os Três Amigos´ e foi homologado pelo RankBrasil como o Mais idoso a lançar um livro

20/10/2005
6921 Acessos
Imprimir
Mais idoso a lançar um livro no Brasil
Foto: Arquivo pessoal - José Carreiro -
José Carreiro, nascido em 08 de agosto de 1911, aos 94 anos publicou seu primeiro livro ´Os Três Amigos´ e foi homologado pelo RankBrasil - Livro dos Recordes Brasileiros, como o Mais idoso a lançar um livro.

O romance conta a história de três amigos que nasceram na mesma vila, tiveram desilusões, erraram, divertiram-se e, acima de tudo, amaram. É realidade com um toque de ficção, mas onde começa uma e termina a outra só ele pode dizer.

Alberto, o herdeiro da fábrica de sabão, Cármino, o tocador de violino e José, o pedreiro consiliador, compõem esta bela obra, que traz em cada página um exemplo de superação.
O leitor se encantará com tantas histórias entrelaçadas, cujo núcleo principal é a amizade verdadeira.

Quando moço, o recordista era conhecido por seus amigos como o ´trovador´. Depois de casado e já com netos, fazia poesias para as reuniões especiais da família, como no Natal e aniversários. Foi daí que surgiu um ´Rimário da Família´, onde constam quase todas as poesias escritas ano a ano para netos, noras e filhos.

Em 1999, com a morte da esposa Júlia, para vencer a tristeza da perda, ele resolveu colocar no papel todas as suas vivências entremeada de ficção.

Seu primeiro livro ´Um drama em cada vida´ foi escrito aos 85 anos. São fatos ocorridos numa cidade que ele, curioso pela história da cidade, ficou sabendo através de contatos com moradores antigos. Este livro, segundo sua nora Edeli, é para ser lançado no ano que vem, pois ainda a família busca apoios.

Cotidiano
José tem uma vida absolutamente metódica e regrada, levantando-se sempre às 7h:30. Depois do café escreve alguns romances e contos, com letra firme e caprichada. Depois digita tudo. "Seus bolsos tem sempre inúmeros papeizinhos, onde anota tudo o que lembra, para depois passar nos cadernos de contos”, diz Edeli

O recordista dorme às 22h:30 e, apesar da idade, é um homem com muita disposição e saúde, tem ótima memória, especialmente para os fatos mais remotos.

Ele tem muito orgulho da família. Já que não teve como terminar o segundo ano primário, educou e formou uma família unida.

Redação: - RankBrasil - 20/10/2005/ Revisão: - jornalista Raquel Susin - 13/07/2007