RioHarpFestival é o maior festival de harpas em número de concertos

Evento supera a própria marca junto ao RankBrasil, com um total de 148 concertos em 2012, realizados por 42 harpistas de 25 países

17/09/2012
6761 Acessos
Imprimir
RioHarpFestival é o maior festival de harpas em número de concertos
O RioHarpFestival, que está inserido no projeto Música no Museu, entra mais uma vez para o RankBrasil, pelo maior festival de harpas do país em número de concertos. O primeiro recorde foi conquistado em 2007, com 79 concertos, e em 2010, o evento quebrou a própria marca com 105 apresentações.

Já no ano de 2012, em uma nova superação, o RioHarpFestival teve a participação de 42 harpistas de 25 países, que realizaram 148 concertos no Brasil, todos gratuitos. O VII Festival Internacional de Harpas do Rio de Janeiro aconteceu durante o mês de maio, reunindo um público de aproximadamente 15 mil pessoas.

“Criado em 2006, o evento inseriu o Brasil no circuito mundial da harpa, ao lado de países que são referências em festivais com este instrumento, como a Austrália, Canadá, França, Estados Unidos, Holanda e Japão”, destaca Sergio da Costa e Silva, que é criador e diretor do projeto Música no Museu e também do festival de harpas.

Dos concertos que foram realizados na última edição, 95% aconteceram na cidade do Rio de Janeiro – entre locais tradicionais da Música no Museu e pontos turísticos – e o restante nos municípios de Porto Alegre – RS, Belo Horizonte – MG, Brasília – DF, Jaraguá do Sul – SC, Niterói – RJ e São Paulo.

Segundo o diretor, trata-se de um evento temático de foco muito restrito, mas capaz de revelar um imenso e rico universo. Ele explica que o festival pode ter o belo efeito de atrair um público misto, formado tanto por aficionados quanto por curiosos ávidos por novas experiências.

As apresentações são em recitais solos ou acompanhadas por grupos e orquestras: “O RioHarpFestival apresenta diferentes variedades de harpas e um amplo repertório que se adapta ao instrumento, incluindo gêneros musicais do clássico ao heavy metal, passando por samba, chorinho e outras manifestações latino-americanas”.

Para os espectadores que preferem um repertório mais ortodoxo, Sergio lembra que a programação inclui recitais com obras de Bach, Mozart, Villa-Lobos, Debussy, Ravel, entre outros. “Música étnica e folclórica complementa a eclética mistura de estilos”, completa.

Harpa
De acordo com o diretor do projeto, a harpa é um dos mais antigos instrumentos musicais do mundo, que remonta à época pré-histórica: “Ela carrega uma enorme tradição que merece ser conhecida e nada melhor do que aprender com os ouvidos”.

Projeto Música no Museu
O Música no Museu foi inspirado em iniciativas dos mais importantes museus do mundo que integram música às atividades de artes plásticas e no Brasil, as apresentações são totalmente gratuitas. Inaugurado em 1997, pelo violinista Turíbio Santos, o projeto conta atualmente com 42 museus e centros culturais, além de igrejas cariocas.

“Uma das propostas é formar novas plateias, incentivando a presença de crianças e jovens aos concertos, oferecendo espetáculos de alto nível artístico a custo zero, além de estimular a visita aos museus”, destaca o diretor Sergio da Costa e Silva.

Em 2012, o projeto comemora 15 anos de atividades ininterruptas, registrando um público de mais de 350 mil pessoas. No ano de 2009, o Música no Museu conquistou outro recorde brasileiro junto ao RankBrasil, de maior série de músicas clássicas do país, com 532 concertos.

Além da realização do RioHarpFestival, oferece por ano mais de 500 concertos de norte a sul do Brasil, com a participação de aproximadamente 2,5 mil músicos, além de apresentações internacionais, em cidades como Portugal, Espanha, França, Austrália, Estados Unidos, entre outros países. A programação completa do Música no Museu pode ser conferida clicando aqui.

Recordes anteriores
ano recordista n°. de concertos
2010 RioHarpFestival 105
2007 RioHarpFestival 79

Redação: Fátima Pires




Algumas citações na mídia:
A Voz Da Serra