Número de fumantes diminui no Brasil

Pela primeira vez na história do país, o índice dos brasileiros que fumam ficou abaixo dos 15%

10/04/2012 15:00:00
2645 Acessos
Imprimir
Número de fumantes diminui no Brasil
O Brasil tem menos fumantes, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (10), pelo Ministério da Saúde.

Pela primeira vez na história do país, o índice dos brasileiros que fumam ficou abaixo dos 15%. Em 2006, quando teve início a medição, o percentual era de 16,2%, número que caiu para 14,8% em 2011.

Segundo o estudo, a frequência de fumantes continua maior entre os homens: são 18,1% contra 12% entre as mulheres. Por outro lado, a população masculina lidera a redução do tabagismo, já que 25% declararam ter deixado de fumar, contra 19% do sexo feminino.

Outro dado importante é que o número de pessoas que abandonam o cigarro aumenta com a idade. Entre homens com mais de 65 anos, a frequência de ex-fumantes chega a ser quase cinco vezes maior. Entre as mulheres, a maior queda foi verificada entre 55 aos 64 anos.

Número de cigarros por dia
Também diminuiu o índice de homens que fumam mais de 20 cigarros por dia, considerados ‘fumantes pesados’. O número passou de 6,3% em 2006 para 5,4% na nova pesquisa.

Fumo passivo
Em relação ao fumo passivo, 11,8% dos não fumantes moram com pelo menos uma pessoa que fuma dentro de casa e 12,2% das pessoas que não fumam convivem com algum colega fumante no local de trabalho.

Escolaridade
Os dados revelam ainda que, quanto maior a escolaridade, menor a chance de a pessoa começar a fumar: 18,8% dos fumantes possuem até oito anos de estudo, enquanto 10,3% possuem 12 anos ou mais de estudo.

Capitais
A capital com maior percentual de fumantes é Porto Alegre (22,6%), seguida por Curitiba (20,2) e São Paulo (19,3%). As com menos fumantes são Maceió (7,8%), Salvador (8,6%), Aracaju (9,4%) e João Pessoa (9,4%).

Pesquisa
A pesquisa foi realizada pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). Ao todo 54.144 pessoas foram entrevistadas, de janeiro a dezembro de 2011, nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal.

Redação: Fátima Pires