Primeiro filme pornográfico brasileiro

Lançado em 07 de julho de 1982, longa-metragem levou um público oficial de 4,7 milhões de espectadores aos cinemas do país

21/10/2012
7098 Acessos
Imprimir
Primeiro filme pornográfico brasileiro
‘Coisas Eróticas’, que entra para o RankBrasil, foi o primeiro filme pornográfico brasileiro. Lançado em 07 de julho de 1982, o longa-metragem levou um público oficial de 4,7 milhões de espectadores aos cinemas do país.

Dirigido por Raffaele Rossi – um italiano radicado em São Paulo – a obra mudou o rumo das produções da época, mostrando as primeiras cenas de sexo explícito nas telonas.

Divisor de águas, com o longa ‘Coisas Eróticas’, os exibidores do cinema paulistano passaram a priorizar filmes do gênero. Assim, eles induziram os cineastas a investir em produções pornográficas, liberadas a partir do precedente obtido pela obra recordista junto à censura do regime vigente no Brasil.

‘Coisas Eróticas’ é composto por três histórias independentes. A primeira traz quatro atores, entre eles Oásis Minniti e Jussara, e a última conta com Zaira Bueno, a única atriz que se recusou a fazer sexo nas filmagens. Já o episódio do meio apresenta cenas mais fortes, com sexo grupal e sadomasoquismo, o que levou a ser integralmente cortado pelo Departamento de Censura.

Com o corte, o filme se reduziria a 47 minutos, em vez dos 87 originais. Isto teria acontecido, mas o diretor percebeu um detalhe que driblou a censura. Os censores ordenaram o ‘corte integral do segundo quadro’, em vez de escreverem história, capítulo ou episódio.

Desta forma, Raffaele Rossi mandou tirar apenas o segundo fotograma do filme. Quinze dias depois, quando o governo se deu conta de que havia sido enganado, 60 mil pessoas já tinham visto o longa. A Polícia Federal correu o país recolhendo cópias e ‘Coisas Eróticas’ só voltou aos cinemas dois meses depois, com um mandado de segurança.

Filme virou livro
O filme recordista virou o livro ‘Coisas eróticas – a história jamais contada da primeira vez do cinema nacional’, que foi lançado em 2012, pelos jornalistas Denise Godinho e Hugo Mora. A obra narra como o diretor do longa teve a ideia de filmar o primeiro pornô nacional, e traz uma coleção de histórias engraçadas,dramáticas e curiosas.

No mundo
Os filmes pornográficos existem desde a época do cinema mudo e eram usualmente mostrados em bordéis. No ano de 1970, o cinema pornô ganhou impulso nos Estados Unidos, graças à eliminação do Código das Produções e à instituição da classificação de filmes por faixa etária, deixando de ser um produto criminal e se constituindo numa indústria publicamente instalada.

Com isto, os longas do gênero passaram a ser exibidos em cinemas próprios, conhecidos por ‘salas especiais’. Entre os filmes que se destacaram na época estão ‘Garganta Profunda’, ‘O Garanhão Italiano’, ‘Atrás da Porta Verde’ e ‘O Diabo na Carne de Miss Jones’.


Fontes: Folha UOL, Wikipédia, O Globo e Livraria Saraiva
Redação: Fátima Pires