‘Hora do Planeta’: apague suas luzes das 20h30 às 21h30

O Brasil e o mundo vão ficar no escuro hoje, durante uma hora. Ato simbólico tem por objetivo mobilizar a sociedade em prol do meio ambiente, para garantir um futuro sustentável

31/03/2012
4689 Acessos
Imprimir
‘Hora do Planeta’: apague suas luzes das 20h30 às 21h30
Neste sábado, 31 de março, das 20h30 às 21h30, o mundo vai ficar no escuro durante a ‘Hora do Planeta’, considerado o maior movimento global pelo meio ambiente.

Milhões de pessoas vão apagar as luzes de suas casas. O ato simbólico tem por objetivo mobilizar a sociedade em torno da luta contra o aquecimento da terra e outros problemas ambientais que atingem a humanidade.

No Brasil, várias cidades vão desligar a iluminação de seus monumentos, entre elas, as capitais Rio de Janeiro, São Paulo, Campo Grande (MS), Natal (RN), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC), Salvador (BA), São Luís (MA), Porto Alegre (RS) e Vitória (ES).

No ano passado, participaram um bilhão de pessoas, de 5,2 mil cidades, espalhadas em 135 países. O Brasil foi o país com o maior número de cidades engajadas à ‘Hora do Planeta’, com o envolvimento de 123 municípios.

Registrado diretamente do espaço
Pela primeira vez na história da ‘Hora do Planeta’, o apagar das luzes em todo o mundo será registrado diretamente do espaço sideral, através da Estação Espacial Internacional.

‘Hora do Planeta’
A ‘Hora do Planeta’, conhecida globalmente como ‘Earth Hour’, começou em 2007 e é uma iniciativa global da Rede WWF, para enfrentar as mudanças climáticas.

Alguns dos mais conhecidos monumentos mundiais já ficaram no escuro durante 60 minutos, como as pirâmides do Egito, a Torre Eiffel em Paris, a Acrópole de Atenas e até mesmo a cidade de Las Vegas.

Rede WWF
A rede WWF é a maior rede independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de cinco milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

Sua missão principal é assegurar o uso sustentável dos recursos naturais renováveis, promovendo a redução da poluição e do desperdício de consumo.


Redação: Fátima Pires