Maior coleção de consoles de videogames Master System Tectoy

Diogenes André Cavalcanti Avelino, da cidade de Escada (PE) possui todos os 44 itens lançados no Brasil

03/05/2018
1133 Acessos
Imprimir
Maior coleção de consoles de videogames Master System Tectoy
Diogenes André Cavalcanti Avelino possui a Maior coleção de consoles de videogames Master System Tectoy, com 44 itens / Foto: Arquivo Recordista
O analista de controladoria da empresa Estaleiro Atlântico Sul no estado de Pernambuco, Diogenes André Cavalcanti Avelino bate recorde junto ao RankBrasil em 2018 de Maior coleção de consoles de videogames Master System Tectoy no Brasil. Ele possui todos os 44 itens do segmento lançados pela marca no país, completos e com manuais.

De acordo com o colecionador, que é da cidade de Escada (PE), os consoles mais raros são os da série Master System Light Phaser, em um total de quatro itens, com uma das caixas mais bonitas já feitas. “Em minha opinião mais raro ainda é o Master System 3D, que consegui em forma de presente de um grande amigo, colecionador e também recordista do RankBrasil, Ricardo Régis”.

Ele ainda destaca a série Master System Super Compact, que conta com sete consoles. Diogenes conta que os objetos da coleção foram adquiridos basicamente em sites e grupos de redes sociais. “O legal das conquistas são as amizades, pois você acaba conhecendo pessoas com mesmos gostos e ideias. Uma amizade leva a outra e assim vamos conseguimos os itens”, comenta.

A coleção fica guardada em caixas feitas especialmente para os consoles. “No decorrer do ano de 2018 e começo de 2019 estarei concluindo um sonho que grande parte ou posso dizer que todos os colecionadores querem ter: uma Game Room”. Conforme o pernambucano, a inspiração vem da linda sala de jogos do amigo e colecionador Flavio Antônio Leite, que servirá de modelo para a que está projetando.

Segundo Diogenes, o recorde junto ao RankBrasil significa um sonho realizado e uma grande satisfação. “A vida de colecionador não é fácil, porque quando começamos a colecionar tem vários sentimentos misturados: a paixão pelos os videogames, a ansiedade de conseguir os itens procurados e a espera da chegada do produto”.

A questão financeira é outro obstáculo. De acordo com o colecionador, esta é uma época que virou moda colecionar, consequentemente os valores dos jogos subiram muito e neste ponto a família e os amigos são muito importante. “Gostaria de aproveitar para agradecer ao meu pai, o senhor José André Avelino que me levava para os fliperamas aos domingos quando era criança para jogar máster system”.

Diogenes agradece à mãe, dona Diva Avelino, que comprou seu super Nintendo (momento muito importante em sua vida de gamer). “Também quero agradecer à minha amada esposa Daillanne Avelino, que me apoia e me ajuda psicologicamente nessa vida de colecionador e à minha filha Maria Valentina, que apesar de pequena gosta de brincar com o Alex Kidd.

Ele ainda presta agradecimentos a todos os seus amigos, em especial a Ricardo Régis e Flávio Antonio Leite: “Obrigado por tudo, pela ajuda, conselhos, dicas, ensinamentos e respeito. Mais importante do que colecionar são as amizades, as quais valem mais do que qualquer item”, destaca.
Na opinião do recordista, entre os consoles mais raros de sua coleção estão o Master System Light Phaser e o Master System 3D / Foto: Arquivo Recordista

Paixão pelo Master System
Diogenes começou a colecionar em 2006, quando decidiu comprar um Master System e alguns jogos, a princípio só para se divertir depois do trabalho. “Com o passar do tempo fiquei mais exigente, comprava jogos com caixas e manuais e depois recomprava o mesmo jogo em condições melhores. Assim começou essa paixão”, revela.

Depois ele adquiriu seu primeiro Master System completo (MS 3 caixa branca com Sonic na memória), e na sequencia vários jogos, chegando a cerca de 30 títulos no final daquele ano. “Nessa época os jogos eram baratos, hoje com esse boom no ramo de colecionismo, as coisa ficaram mais difíceis”, afirma.

Conforme o pernambucano, após ter deixado a coleção um pouco de lado, em 2015 a chama reacendeu, em especial pelo Master System. “Comecei a pesquisar nas redes sociais grupos de videogames e retomei a vida de colecionador. Comprava itens de Master System (meu foco), mas também SNES, Mega Drive e N64”.

Atualmente Diogenes não possui nenhum console dessa nova geração. “Sinceramente não tenho nenhuma vontade de ter”, diz. Ele se desfez de itens de consoles como PS3, PS2 e um pouco mais velho Nintendo 64. “Tudo isto para me dedicar ao Master System”, finaliza.

Algumas citações na mídia:
News Rondônia
A Voz da Vitória
Blog Tec Toy