Maior tempo empinando uma bicicleta

Recorde pertence ao curitibano Márcio Leandro Gay, que ficou 12 horas, um minuto, seis segundos e quatro milésimos pedalando e se equilibrando em uma única roda

09/11/2017
12063 Acessos
Imprimir
Maior tempo empinando uma bicicleta
Atleta empinou a bicicleta durante 12 horas, um minuto, seis segundos e quatro milésimos. Ele permaneceu o tempo todo pedalando e se equilibrando em uma única roda, sem fazer intervalos / Foto: RankBr
O atleta paranaense da modalidade wheeling bike (manobras sobre uma só roda), Márcio Leandro Gay, mais conhecido como Leandro Sekko, entra para o RankBrasil pela superação do próprio recorde de Maior tempo empinando uma bicicleta.

Ele ficou 12 horas, um minuto, seis segundos e quatro milésimos pedalando e se equilibrando em uma única roda sem parar. O desafio aconteceu em 9 de novembro de 2017, no Ginásio de Esportes Professor Almir Nelson de Almeida – Ginásio Tarumã, em Curitiba. Os representantes do RankBrasil, Luciano Cadari, Elisangela Arruda e João Araujo se revezaram para acompanhar a prova.

Em 2008, o curitibano obteve o título brasileiro pela primeira vez com a marca de oito horas, fazendo quatro intervalos de cinco minutos cada. Conforme o atleta, em 2010 ficou 11 horas, 12 minutos e quatro segundos empinando uma bicicleta, também realizando quatro intervalos (evento não acompanhado pelo RankBrasil).

Desta vez, Leandro Sekko seguiu direto. “Foi um recorde impressionante pela força e concentração do atleta, que não realizou nenhuma parada”, destaca Luciano Cadari. O recordista enfatiza que ao ficar mais de 12 horas em uma única roda, ele superou a marca do também brasileiro Leandro Basseto, que entrou para o Guinness World Records com o tempo de 10 horas, 40 minutos e oito segundos ininterruptos.

Para tal façanha, preparou-se fisicamente durante três meses, com treinos diários de três horas e no último mês foram até seis horas por dia. A preparação teve a supervisão do preparador físico Carlos Tozo, do hipnoterapeuta Edson Borghezan, acompanhamento do Dr. Waldir Altmann Jr e sua equipe médica da Policlínica do Capão Raso, além de uma dieta rigorosa seguida pela nutricionista Márcia Kuritza. No dia do evento, o curitibano contou com o acompanhamento do socorrista Mauricio Rocha Loures Ramos.

Na prova, o paranaense tomou água de coco, isotônico, coca-cola e água. Sempre se equilibrando na bicicleta, também comeu banana, pasta de amendoim, pão, castanha e bala de goma, seguindo as orientações da nutricionista. Aproximadamente 300 pessoas passaram pelo ginásio de esportes para presenciar o evento e muitos acompanharam o desafio pelas redes sociais.

Segundo o atleta, as principais dificuldades foram às cãibras e as dores pelo corpo. “Não foi fácil, recebi muitas críticas falando que eu era louco, que não ia conseguir. Entrei totalmente triste, com apenas 80% focado e não sei de onde veio uma força tão positiva na hora”, revela. “Acho que juntou a raiva com a vontade de vencer”, completa. O curitibano diz ainda ter se lembrado de um vídeo em que Ayrton Senna aparece falando: “é hoje, tem que dar”.

O recordista acredita que Deus deu o dom de empinar bicicleta e ele soube aproveitar. “A modalidade wheeling bike não é muito conhecida no Brasil, mas está ganhando espaço”, comenta. Conforme ele, este esporte representa a sua vida. “Ainda não caiu a ficha que sou o melhor do mundo empinando bicicleta. Conquistar um recorde é um feito inacreditável, é um sonho ter um troféu do RankBrasil na estante de casa”.

Paixão pelo esporte
Desde os sete anos Leandro Sekko tinha facilidade em realizar manobras combicicleta. Entre 11 e 12 anos começou a executar as primeiras empinadas e assim teve início sua história. Ele comenta que um dia abriu um chiclete e encontrouuma figurinha de um norte-americano com o recorde empinando bicicleta por mais de cinco horas. “Foi então que me despertou o interesse em também quebrar recordes”.

Aos 14 anos o paranaense entrou para a Pro Tork Arte eDomínio Show, uma equipe especializadas em manobras radicais (motos e bicicletas). O atleta começou a fazer parte com um quadriciclo 50 cilindradas e como garupa nas manobras dos pilotos. “Logo em seguida já encaixamos a bicicleta”, conta.

O curitibanose apresentou profissionalmente durante 17 anos e realizou em torno de 900 shows em 13 estados do Brasil, na Argentina e na Bolívia. Sua última apresentação foi em 2016, mas em 2017 ainda realizou alguns shows com diferentes equipes e também com sua bicicleta “Também fiz algumas apresentações individuais, mas meu foco este ano foi a preparação para o recorde”.

Atualmente aos 34 anos é empresário do setor de vestuário e tem uma legião de seguidores nas redes sociais, que acompanham sua trajetória radical. São mais de 52 mil seguidores no Facebook e quase 30 mil inscritos no seu canal no YouTube.

Recorde Superado:
RecordistaCidade / EstadoTempoAno
Márcio Leandro GayCuritiba / PR12 horas, um minuto, seis segundos e quatro milésimos2017
Márcio Leandro GayCuritiba / PR8 horas2008