Animal terrestre mais barulhento

O grito do bugio chega a atingir 130 decibéis e pode ser ouvido a cerca de cinco quilômetros de distância

10/09/2008
24324 Acessos
Imprimir
Animal terrestre mais barulhento
Bugio é o animal terrestre mais barulhento
O macaco bugio é o Animal terrestre mais barulhento do Brasil e do mundo. Seu grito, que chega a atingir 130 decibéis, é o mais forte que existe na terra e pode ser ouvido a cerca de cinco quilômetros de distância.

O bugio é também conhecido como guariba, barbado ou macaco-uivador. Está entre os maiores primatas neotropicais, com um comprimento de 30 a 75cm. Sua pelagem varia entre tons ruivos, ruivo acastanhados, castanho e castanho escuro.

A amplificação da potência do rugido do bugio é obtida graças a hióide, um pequeno osso localizado entre a laringe e a base da língua do bicho. O hióide funciona como uma caixa de ressonância, em caso de ameaça de algum predador.

Geralmente ao amanhecer, já se pode ouvir o barulho crescente do bugio, uma sequência de rugidos cada vez mais forte. O grito é a sua característica mais importante. É interrompido e recomeçado várias vezes durante minutos e até horas. Costuma ser emitido também quando são observados ou até mesmo quando outro individuo se aproxima para a invasão de seu território.

Apesar desse ronco estrondoso do bugio, ninguém imagina que por trás de tudo, existe um macaco tímido, que vive em pequenos grupos, de três a 12 indivíduos, de ambos os sexos e várias idades, chefiados por um macho adulto. Pouco se sabe quanto a seu tempo de vida, pois se trata de um animal que não se adapta bem ao cativeiro.

O bugio foi estudado de perto, em seu próprio meio e logo se encontrou a razão de tais gritos. Sabe-se atualmente que esses macacos vivem em bandos, que se comunicam por meio de gritos. Os guaribas emitem uma série de sons: uivo, latido, gemidos, etc.. Cada som tem um significado: perigo, filhote perdido, companheiro ferido, entre outros.

Cada bando de bugio tem seu próprio território. Os gritos servem para participar aos vizinhos os limites desse território, do qual os estranhos devem manter distância. Quando os dois bandos se encontram, sua hostilidade também é mostrada por meio de gritos. Vence quem gritar mais alto.

O macaco está ameaçado de extinção. Um dos motivos é devido ao desmatamento que ameaça a sobrevivência de diferentes maneiras. A mais evidente é a retirada da vegetação, o que restringe seus ambientes a pequenos fragmentos isolados.

Sua carne e pele são muito apreciados pelos índios e caboclos. Os bugios não descem ao chão, nem para beber água. Portanto, não podem migrar para outras áreas e interagir com indivíduos de outros grupos e, assim, trocar seu material genético.

Características
Nome científico: Alouatta seniculus
Outros nomes: guariba, barbado, macaco-uivador, bugio e roncador.
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Família: Cebidae
Espécies: cinco
Subespécies: 21, do gênero Alouatta
Distribuição: ocorrem desde as matas costeiras do sul do México, até o Chaco e o sudeste brasileiro
Habitat: uma variedade de ambientes que vai da floresta tropical úmida, aos campos cerrados
Hábito: diurno
Comportamento: grupo de até 12 indivíduos
Longevidade: 20 anos
Maturidade: fêmea - quatro a cinco anos, macho - seis anos
Gestação: quatro a cinco meses
Desmame: 1,5 a dois anos
Número de filhotes: um
Alimentação na natureza: folhas e frutas
Alimentação em cativeiro: frutas diversas, verduras e iogurte
Causas da extinção: destruição de seu habitat e caça indiscriminada

Redação: RankBrasil
Revisão: Fátima Pires