Primeira medalha olímpica do Brasil no peso pesado

Atleta, que ocupa o terceiro lugar no ranking da Federação Internacional de Judô, ganhou o bronze em Londres, fazendo história no esporte nacional

03/08/2012
5405 Acessos
Imprimir
Primeira medalha olímpica do Brasil no peso pesado
Rafael Carlos da Silva, que é o melhor judoca do país no peso pesado e agora está no RankBrasil, conquistou bronze nas Olimpíadas de Londres, em 2012, fazendo história no judô.

Além de o judoca ganhar a primeira medalha olímpica do esporte nacional na categoria acima de 100kg, ele ajudou o país a conquistar outro recorde: o de melhor participação do esporte nacional na história dos Jogos Olímpicos, somando quadro vezes no pódio.

Com 25 anos e pesando mais de 150kg, Rafael é atleta do Clube Pinheiros, de São Paulo. No ranking da categoria, pela Federação Internacional de Judô (FIJ), o brasileiro ocupa o primeiro lugar no país e o terceiro em todo planeta. Natural de Campo Grande – MS, no mundo do judô, é chamado carinhosamente de Rafael Baby.

Ranking brasileiro da FIJ (*)
lugar judoca lugar no
mundo
1°. Rafael Silva 3°.
2°. Daniel Hernandes 16°.
3°. David Moura 20°.
4°. Walter Santos 35°.
5°. Luís Carmo 103°.
Principais títulos
Em 2011, o judoca foi prata nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México e campeão da Copa do Mundo de Budapeste, na Hungria. No ano de 2012, ele já conquistou o Campeonato World Masters e o vice-campeonato do Grand Slam de Paris, na França.

Ranking mundial da FIJ (*)
lugar judoca país
1°. Teddy Riner França
2°. Andreas Toelzer Alemanha
3°. Rafael Silva Brasil
4°. Sung-Min Kim Coreia do Sul
5°. Islam El Shehaby Egito

Número 1 do mundo
O francês Teddy Riner, campeão olímpico no peso pesado dos Jogos de Londres, lidera o ranking da Federação Internacional de Judô. Aos 23 anos de idade, ele ganhou todos os campeonatos mundiais desde 2007, um recorde entre os judocas. Nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, foi bronze.


* Dados obtidos em 03 de agosto de 2012
Fontes: Globo Esporte, Wikipédia, Ministério do Esporte e Federação Internacional de Judô
Redação: Fátima Pires