Globista mais idoso em atividade

O RankBrasil homologou o recorde conquistado por Claudio Azevedo Rodrigues, de 67 anos, da cidade de Porto Alegre – RS

19/03/2010
6914 Acessos
Imprimir
Globista mais idoso em atividade
Apresentações no globo da morte representam perigos técnicos e humanos
O recordista pratica o número do globo da morte há 40 anos, com o mesmo entusiasmo e alegria. Faz suas apresentações com os filhos, levando o nome da Família Rodrigues. Nos shows, utilizam um globo da morte pequeno, com apenas quatro metros e 50 centímetros, participando do espetáculo três motos e duas bicicletas.

Segundo o recordista, é a velocidade de até 60 km/h que mantém as motos presas na estrutura do globo. “Para a partida tem que fazer dois movimentos e no terceiro movimento, sair”, explica Rodrigues.

As apresentações no globo da morte representam perigos técnicos e humanos, por isso leva esse nome, cada espetáculo é único e o globista não pode prever o que vai acontecer. Rodrigues conta que em uma apresentação com quatro motociclistas, três caíram: “Fiquei rodando sozinho até surgir oportunidade de parar, pois as motos impediam a parada, mas o acidente não foi grave”.

Apesar de nunca ter incentivado os filhos a serem globistas, o recordista reconhece que realizar as apresentações com os filhos representa muito prazer e orgulho, pois consegue reconhecer a evolução de todos, buscando sempre aprimorar para agradar ao público.

Para Claudio, entrar para o Livro dos Recordes Brasileiros significa demonstrar que não existe idade para fazer o que gosta e dá prazer, e que a idade está na cabeça de cada um. “Tendo boa saúde e objetivos definidos tudo é possível, até girar no globo da morte”, declara.


Redação: Raquel Susin