Primeiro brasileiro a ter o nome no Livro dos Heróis da Pátria

Líder da Inconfidência Mineira, Joaquim José da Silva Xavier entrou para o livro em 21 de abril de 1992, por ocasião do bicentenário de sua execução

13/02/2013
7089 Acessos
Imprimir
Primeiro brasileiro a ter o nome no Livro dos Heróis da Pátria
Tiradentes também é reconhecido como o primeiro grande mártir da independência do país - Imagem: divulgação
Joaquim José da Silva Xavier, mas conhecido como Tiradentes, entra para o RankBrasil em 2013 pelo recorde de Primeiro brasileiro a ter o nome inserido no Livro dos Heróis da Pátria.

Também reconhecido como o primeiro grande mártir da independência do país, o ativista político na época do Brasil Colônia teve o nome gravado no Panteão da Pátria no dia 21 de abril de 1992, por ocasião do bicentenário de sua execução.

Batizado em 12 de novembro de 1746, Tiradentes nasceu em Fazenda do Pombal, terras que atualmente pertencem à cidade de Ritápolis – MG. Com ideias iluministas, ele foi líder da Inconfidência Mineira, um movimento contra os pesados impostos cobrados pela coroa portuguesa.

A revolta foi motivada ainda pela decisão dos portugueses de cobrar a derrama, uma dívida em atraso. Reprimida pelo governo central, todos os participantes acabaram presos. Tiradentes obteve sozinho a responsabilidade pelo movimento, sendo o único condenado à morte.

No dia 21 de abril de 1792, foi enforcado e depois esquartejado, com pedaços do corpo espalhados pelo caminho que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais. A severa punição tinha por objetivo desencorajar qualquer revolta contra o regime colonial.

Apesar do final trágico, a Inconfidência Mineira, ocorrida na então capitania de Minas Gerais, foi a primeira revolta no Brasil Colônia a manifestar claramente a intenção de romper laços com Portugal, marcando o início do processo de emancipação política do país.



Homenagens
Pela importância do recordista para a história do Brasil, na data de sua morte foi instituído feriado nacional. Também recebeu homenagem através da cidade mineira Tiradentes, antiga Vila de São José do Rio das Mortes, que foi renomeada. O herói brasileiro ainda é patrono cívico do país, além de patrono das Polícias Militares dos Estados de Minas Gerais e do Rio de Janeiro.

História de vida
Tiradentes já havia aprendido a ler e a escrever antes mesmo de frequentar a escola. Órfão de mãe e pai desde a juventude, ao atingir a maioridade resolveu conhecer o Brasil. Foi tropeiro, mascate e dentista (daí o apelido). Depois trabalhou em mineração e tentou a carreira militar, chegando ao posto de alferes, no Regimento de Cavalaria Regular.

Panteão da Pátria
O Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves é uma homenagem aos heróis brasileiros – pessoas que lutaram pela liberdade e democracia no país. Com formato de pomba, a construção leva o nome do ex-presidente que marcou o recomeço da democracia.

A obra foi inaugurada em 07 de setembro de 1986 e fica na praça dos Três Poderes, em Brasília – DF. Os nomes dos homenageados constam no Livro de Aço, também chamado Livro dos Heróis da Pátria, conferindo a estas pessoas o status de ‘herói nacional’.


Fontes: Senado Federal, UOL Educação, Agência Brasília e Wikipédia
Redação: Fátima Pires