Primeira emissora de televisão do Brasil

A recordista é a extinta Televisão Tupi, da cidade de São Paulo

05/03/2003
13119 Acessos
Imprimir
Primeira emissora de televisão do Brasil
A TV Tupi foi fundada no dia 18 de setembro de 1950, por Assis Chateaubriand e fazia parte do Grupo Diários Associados, assim como a revista ´O Cruzeiro´, que também é recordista do RankBrasil por ser a primeira de circulação nacional.

O nascimento da TV Tupi foi um acontecimento marcante para o país, apesar dos equipamentos precários e estúdios pequenos. Os radialistas, com pouco treinamento, foram incentivados por Assis Chateaubriand.

Acostumados a improvisar como no rádio, os estreantes não tiveram problemas em se adaptar ao novo e moderno canal. Desta forma, começaram a surgir programas humorísticos, telejornal, telenovela, e aparecendo atores, atrizes e diretores que fortaleceram o papel da televisão no país.

A TV Tupi inventou a telenovela, exibindo capítulos semanais. No ano de 1951, mostrou uma das cenas mais marcantes e chocantes da época: o primeiro beijo na boca, na novela ´Sua vida me pertence´, onde a atriz Vida Alves foi beijada pelo ator Walter Forster.

O ´Repórter Esso´, que já fazia sucesso no rádio, invadiu a tela da TV Tupi e repetiu o feito, tornando-se um programa de grande audiência, com notícias nacionais e internacionais.

O Grupo Diários dos Associados entrou em crise antes mesmo da morte de seu idealizador, Assis Chateaubriand, no ano de 1968, abalado por problemas financeiro, má administração, perda de qualidade e audiência. Com o advento da Rede Globo, a Tupi se enfraqueceu ainda mais, mas ainda emplacava alguns sucessos.

Para piorar a situação da emissora, no ano de 1978 aconteceu um incêndio no prédio da TV, destruindo muitos equipamentos que nem haviam sido colocados em funcionamento.

No dia 16 de julho de 1980, antes de completar 30 anos, a Rede Tupi tem suas concessões não renovadas pelo Governo Federal, e no dia 17, seus transmissores foram lacrados, chegando ao fim a TV Tupi.

A TV Tupi deixou um acervo de duzentos mil rolos de filmes, 6.100 fitas de videotape e textos de telejornais que contam 30 anos de histórias do país e do mundo.

Redação: Raquel Susin