Primeira mulher a se formar em Medicina

Recordista obteve o diploma em 1887, após defender a tese sobre a operação cesariana

22/06/2012
11856 Acessos
Imprimir
Primeira mulher a se formar em Medicina
Para a conquista do título, Rita defendeu a tese sobre operação cesariana - Imagem: divulgação
Rita Lobato Velho Lopes foi a Primeira mulher a se formar em Medicina no Brasil. Ela obteve o diploma de médica em 1887, após defender a tese sobre a operação cesariana.

A recordista cursou inicialmente a Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e depois se transferiu para a Faculdade de Medicina de Salvador, na Bahia.

Formada, Rita clinicou em Porto Alegre – RS durante algum tempo, mas depois se mudou para Rio Pardo – RS, onde exerceu a profissão de médica entre os anos de 1910 e 1925.

Em 1935 ela foi eleita vereadora e cumpriu seu mandato até a implantação do Estado Novo, em 1937, que fechou todas as câmaras municipais. A recordista nasceu no Rio Grande – RS, em 10 de janeiro de 1861 e faleceu no Rio Pardo – RS, em 06 de janeiro de 1954.



Autorização às mulheres
Em 1879, um decreto imperial autorizou as mulheres a frequentarem cursos de faculdades no Brasil e obterem títulos acadêmicos, até então proibido. Apesar da possibilidade, que antes era exclusiva dos homens, Rita enfrentou os preconceitos da época e fez história no país.

Segunda da América Latina
A recordista brasileira também foi a segunda mulher a se formar em Medicina na América Latina. Ela concluiu o curso apenas um ano após a formatura da médica chilena Eloísa Diaz Inzunza.


Fontes: Sociedade Brasileira de História da Medicina, Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul, Portal Brasil e Wikipédia
Redação: Fátima Pires