Primeira mulher a integrar uma unidade militar no país

Recorde é de Maria Quitéria, que em 1822 atendeu ao chamado da Junta Conciliadora de Defesa e lutou pela independência do Brasil

20/02/2013
7569 Acessos
Imprimir
Primeira mulher a integrar uma unidade militar no país
Maria Quitéria lutou pela independência do Brasil - Imagem: divulgação Museu Paulista
Maria Quitéria de Jesus Medeiros entra para o RankBrasil em 2013 por ter sido a Primeira mulher a integrar uma unidade militar no país.

A recordista nasceu em 27 de julho de 1792, em São José de Itapororocas, na antiga Província da Bahia. Em 1822, o Recôncavo Baiano lutava contra o domínio português, que se negava a reconhecer a independência do Brasil.

Nesta situação de instabilidade política, a necessidade de efetivos fez com que a Junta Conciliadora de Defesa, que era sediada na cidade de Cachoeira – BA, conclamasse os habitantes da região a se alistarem para combater os portugueses.

Apesar de ser mulher, Maria Quitéria, uma humilde sertaneja baiana, atendeu ao chamado, motivada pelos ideais de liberdade. Contrariada pelo pai, fugiu de casa com o uniforme de um cunhado. Inicialmente, ela atuou disfarçada de homem, no Corpo de Artilharia e depois, no de Caçadores, com nome de Soldado Medeiros.

No final de 1822, já revelada sua identidade feminina, ela se incorporou ao Batalhão dos Voluntários de D. Pedro I, tornando-se oficialmente a primeira mulher a assentar praça numa unidade militar do Brasil. De armas na mão e muita habilidade, participou de vários combates, passando a ser referência do heroísmo da mulher brasileira.

Reconhecimento
Com o término do conflito na Bahia, Maria Quitéria embarcou para o Rio de Janeiro e em 20 de agosto de 1823 foi recebida em audiência especial por D. Pedro I. O então imperador concedeu à baiana a retribuição de ‘Alferes de Linha’ e a condecoração de ‘Cavaleiro da Ordem Imperial do Cruzeiro’, em reconhecimento à bravura e à coragem com que lutou contra os inimigos da Pátria.

A heroína faleceu em 21 de agosto de 1853, em Salvador – BA. No centenário de sua morte, o governo brasileiro determinou que em todos os estabelecimentos, repartições e unidades do exército, o retrato de Maria Quitéria fosse inaugurado. Em 28 de junho de 1996, por decreto da Presidência da República, ela passou a ser reconhecida como Patrono do Quadro Complementar de Oficiais do Exército Brasileiro.



Fontes: Exército Brasileiro, UOL Educação e Wikipédia
Redação: Fátima Pires