Maior lagoa costeira

Lagoa dos Patos, que fica no Rio Grande do Sul, tem 265 km de comprimento e uma superfície de 10.144 km²

26/03/2014
29076 Acessos
Imprimir
Maior lagoa costeira
Lagoa dos Patos fica no Estado do Rio Grande do Sul
A Lagoa dos Patos entra para o RankBrasil em 2007 como a Maior lagoa costeira do país.

A Lagoa dos Patos tem 265 Km de comprimento, 60 Km de largura (em sua cota máxima), chega a atingir 7 m de profundidade e a superfície é de 10.144 Km² de acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Estende-se desde Porto Alegre até a cidade de Rio Grande.

Uma parte da lagoa é inundada pelo Oceano Atlântico e, junto com a água do mar, entram bichos como botos, leões marinhos, aves, peixes e camarões. Pela água salgada, é referida por alguns especialistas como Laguna dos Patos.

O nome da lagoa estaria ligado às tribos de índios que habitavam a região, conhecidos como ´patos´.

Outra versão conta que a origem do nome teria ocorrido em 1554, quando algumas embarcações espanholas viajavam para o Prata: ao passaram por um temporal, foram obrigados a procurar abrigo no estado.

Essas embarcações teriam deixado fugir alguns patos que traziam a bordo. As aves gostaram do lugar e se reproduziram rapidamente, enchendo a superfície das águas da lagoa.

Profundidade e navegação
A profundidade em alguns pontos é mantida por dragagens constantes e sistemáticas, que garantem o acesso das embarcações de cabotagem e de longo curso a Porto Alegre. Os comboios integrados que por lá navegam, eventualmente sofrem atuação dos fortes ventos que encrespam as águas, tornando a navegação difícil.

Área de reprodução e de turismo
Com seu conjunto de lagoas adjacentes, a recordista forma um sistema lagunar costeiro único, constituindo-se na mais importante área de criação, reprodução e alimentação para grande parte dos peixes que ocorrem no litoral sul do Brasil.

Além disso, a lagoa representa o sustento para milhares de pescadores e familiares. Suas águas, às vezes doces, outras salgadas, formam praias belíssimas, de águas rasas e calmas em sua orla enfeitada de coqueiros e figueiras centenárias.


Fontes: Globo Mar e Ibama

Redação: Raquel Susin
Revisão: Fátima Pires